A europa dos imigrantes

No início do mês vi uma enorme reportagem sobre imigração no mundo, com um olhar particular sobre a Europa, e fiquei espantada como os países estão tratando do assunto. Um relatório da Agência das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR) entre 38 países industrializados desenhou um mapa sobre quantos procuraram asilo no mundo e para onde essas pessoas se deslocaram. Os números impressionam.

Segundo o estudo, 47% dos iraquianos que aplicam por um visto de asilo procuram a Suécia como destino, 52% de chineses na mesma situação foram para os Estados Unidos. Depois ninguém sabe o porque de tanto iraquiano procurar abrigo e ajuda por aqui. Ninguém imagina que no país deles existe uma guerra e que a lei válida é do “salve-se quem puder!” Enquanto essa guerra sem noção continuar, esses números só tendem a crescer e com isso países como a Suécia, preocupada em apenas dar abrigo aos que precisam e única da Europa a ainda receber refugiados da maneira, digamos, mais fácil (apesar de mudanças já terem sido anunciadas), infla e se desespera pela demanda crescente.

asyldiagram380.jpg

Divisão dos que procuram asilo nos países do oeste (imagem)

A matéria publicada pela TV estatal divulga alguns números:

  • Durante os primeiros seis meses de 2006, 90 216 pessoas pediram asilo nos 27 países da União européia enquanto que no mesmo período de 2007 o número atingiu a marca dos 99 623, um aumento de 10%.
  • Enquanto isso, os Países Baixos diminuiram em 66 % a aceitação de asilados, a Alemanha em 22%, a França em 15% e a Grã- Bretanha em 9% em relação ao mesmo período do ano passado. Isto significa que menos países estão dispostos em abrir suas portas para receber essas pessoas.
  • Por outro lado, houve um aumento de 324% na Grécia, 99% na Suécia e 67% na Espanha. Sendo os iraquianos o grupo de asilados que mais cresce.
  • Apenas nos primeiros seis meses deste ano, 19 800 iraquianos procuraram asilo nos 36 países que compõem o estudo. Deste montante 9321 vieram para a Suécia, o que significa 47% do total.
  • Enquanto isso, a Noruega, Dinamarca e Finlândia receberam apenas 485, 450 e 106 pedidos respectivamente
  • 17 700 pessoas procuraram asilo na Suécia nos primeiros seis meses de 2007. Isso significa mais do que o dobro dos pedidos durante todo o ano de 2006.
  • A Suécia é também é o país que 33% dos somali que pediram asilo preferem. A Grã-Bretanha é procurada por 21% deles e os Países Baixos por 20%.

Também fiquei chocada com outra matéria veiculada na sequência na qual mostrava a polícia francesa em fila indiana entrando em algumas galerias da cidade, parando as pessoas e, numa atitude à la gestapo, pedindo identificação. Eles não perseguiam suspeitos de nada. Apenas pessoas que olhavam lojas ou estavam presentes quando “os amigos da ordem” chegaram com o intuito de caçar ilegais.

Por essas e outras condeno veemente este tipo de política de imigração adotada pelo Monsieur Sarkozy, cujo governo adotou recentemente o uso de DNA para futuros pedidos de agrupamento familiar.

Não estou aqui defendendo a imigração ilegal. De forma alguma. Muito pelo contrário, acredito que existem formas de combater esse fluxo crescente: Melhores e maiores investimentos em países em desenvolvimento, o fim da venda de armas para países em guerra e com o reconhecimento por parte dos países (dentre os quais hoje reclamam e se recusam a receber asilados) que durante séculos foram potências coloniais e que em vez de investir só souberam tirar proveito de suas colônias.

Além disso, é mais do que necessário uma rápida, profunda e significativa mudança na política de imigração para tratar daqueles que já estão inseridos no sistema.

Link para o vídeo (em sueco) sobre a situação dos que procuram asilo e que já se encontram instalados na Suécia.

  • A palavra em sueco do dia é asylsökande [as[iu]llsókande] , aquele que pede asilo

4 thoughts on “A europa dos imigrantes

  1. Pois é concordo com o que disse. Se não vendessem armas para países em guerra civil, acabassem com a guerra no Iraque e investissem em educação e infra-estrutura nos países em desenvolvimento o fluxo de imigrantes ilegais e legais diminuiria muito.

    Aqui na Holanda também está cheio de Iraquianos tentando uma vida melhor.

    Gostei do blog!!

    Abs!

  2. Pois é Marcio, infelizmente muitos governantes ainda têm a idéia de que a repressão é o único meio de resolver problemas. Prevenção não é um vocábulo muito utilizado nos discursos deles. Infelizmente! :( Obrigada pela visita!

  3. Estavamos conversando sobre coisas parecidas com estas ontem… tenho a ligeira impressão que os noruegueses acham que se você está aqui é porque está fugindo de algo do seu país e vem pro país deles que é “melhor”.
    Ai nós que viemos por outras razões, as vezes nos sentimos tratados como se fôssemos refugiados de guerra.

    É uma situação estranha. Você acha que ai na Suécia tem algum tipo de preconceito contra essas pessoas? Aqui se você olha de fora, acha que eles não tem… mas se presta atenção no dia a dia, eles tem sim.

    Beijos

Comments are closed.