Desafio auditivo

gammal2.jpgNão é toda piada que me faz rir. Nem todo comediante consegue tirar uma gargalhada desta pessoa que vos escreve com facilidade. Detesto piadas sexistas, machistas, discriminatórias e de baixo escalão. Além disso, nem toda comédia, seja filme ou peça teatral, me agrada. Para mim, um bom comediante tem que ter um olhar bem apurado do que acontece na sociedade e brincar com isso. Pega situações que para nós passariam desapercebidas e acentuar, pôr humor. Isso é divertido!

Ontem gargalhei como nunca. A peça em questão chama-se Gammal är äldst, que ao pé da letra não faz muito sentido “Velho é o mais velho”. Adde Malmberg, Babbe Larsson e Lennie Norman, cada um representando respectivamente uma palavra do título da peça. É uma peça na qual eles interagem com o público e contam histórias do cotidiano com um olhar bem particular. Das 7 apresentações previstas, restam apenas 3.

O teatro estava lotadíssimo (em plena quarta-feira!!!). O interessante é que o público era composto em sua grande maioria por pessoas mais velhas. Muitas cabecinhas brancas estavam diante de mim. Os nativos presentes estavam num humor tão bom que uma das minhas vizinhas de cadeira interagiu conosco (fato raro, já que eles não costumam tomar a iniciativa e falar com estranhos). Ao voltar do intervalo ela nos indagou se estavámos curtindo a peça, já que éramos tão jovens para estar ali (eu fiquei super contente pelo elogio: jovem!!!). Ela nos falou com um sorriso no rosto e foi tão simpática. Enquanto isso seu marido dava pequenos empurraozinhos e com a cara fechada dizia, anda..anda.. heheh

gammal1.jpg

Foi um desafio ir assistir a primeira peça de teatro em sueco. Desafio maior foi ouvir dois dentre eles: Babben et Adde. A primeira vem da região de Gotland (Göteborg/Gotemburgo é a principal cidade) e o segundo vem da região Skåne (se pronuncia Skône), no sul. Ambos sotaques são difficílimos de endender. Não apenas por mim, mas por muitos nativos também. Além de mudar algumas vogais no final de algumas palavras e não pronunciar a palavra inteira, os nativos de Gotland falam muito, muito, mas muito rápido.

Já o sueco falado em Skåne é tão gutural (aos meus ouvidos) que chega a destoar do resto do país. Muitos dizem que Skånska tá mais para dinamarquês que para sueco. Outros afirmam que muitos suecos que não entendem quando alguém desta região fala. Apesar disso, consegui entender bastante de ambos comediantes. Fiz um esforço magnânimo para entender as histórias meio as gargalhadas de todos. Tudo foi tão rápido que não deu para gritar por socorro ao meu viking! hehe

Sou péssima para guardar nomes, quem me conhece, sabe. Sou boa para fisionomia. Dos três comediantes eu conhecia apenas Babben, cujo programa que leva seu nome Baben &co é exibido aos sábados na TV estatal SVT1. Gosto muito dela, apesar de não entender muito bem o que ela fala. hohoho Gosto da forma como ela conta historias e consegue se manter séria. Adorei os dois outros comediantes. Principalmente o Lennie (talvez porque entendi muito mais ele 😉 ). Para quem gosta de teatro é uma ótima pedida para unir descontração e descoberta (pois ganha de quebra a oportunidade de ver que os suecos têm, sim, um humor peculiar que muitos desconhecem e que tirar da cabeça aquela idéia de que os nativos só sabem rir e se divertir na companhia de álcool).

  • O verbo em sueco do dia é skratta [skráta] , rir

One thought on “Desafio auditivo

  1. Juuu, faz tempo que eu não venho por aqui.. é que eu estava sem computador, mas agora ele voltou! Já me atualizei aqui nesse teu blog. Eu leio isso aqui como eu leio uma revista, é muito boom, adoro o jeito que tu escreve!

    beijão :*

Comments are closed.