As línguas Nórdicas

Desde agosto do ano passado, estudo Svenska som främmande språk (sueco como língua estrangeira) na Universidade de Estocolmo. Apesar do curso ser na uni, o nível é ginasial. Agora estou no nivel 3 (apesar de não existir nivel 1 😛 ) que este semestre mudou de nome. Agora ele se chama Behörighetsgivande kurs i svenska (Curso que te dá qualificações em sueco para cursar uma universidade).

O curso faz parte da Instituição para línguas Nórdicas (Institutionen för Nordiska Språk) que oferece cursos, além do sueco, de dinamarquês, noruguês, holandês, islandês, sueco antigo, gótico etc.

Hoje tivemos um seminário bastante interessante no qual as duas professoras dividiram as 3 horas de aulas em 2 momentos: Norueguês e Dinamarquês. Eu adorei!

A primeira professora, norueguesa, foi bastante simpática, comunicativa e capaz de prender nossa atenção. Ela falou em norueguês a aula inteira. Sim, inteirinha!!! Lembrei imediatamente da aula de Mércia. O tema da aula foi as duas variações de norueguês. Sim, esta eu não sabia. Na Noruega existe duas línguas, não como na Bélgica ou Canadá que tem o inglês e frances como línguas oficiais, mas norueguês e norueguês. 😕

Explico: segundo a professora, na Noruega existe duas variantes de norueguês: Nynorsk (novo norueguês) e o Bokmål (dano-norueguês). Para poder entender melhor, precisamos voltar um pouco no tempo.

A Noruega e a Dinamarca faziam parte de uma união estabelecida entre esses dois países a partir de 1450. No entanto a Noruega só deixou de ser um reino independente em 1536. Na aula, a professora explicou que com o domínio dinamarquês, a língua norueguesa escrita desapareceu, sendo substituída pelo dinamarquês.

Quando a união, na qual a Suécia anos depois veio fazer parte, finalmente acabou, 1813, a Suécia “levou para casa” a Noruega como prêmio de guerra. A dissolução da união Noruega-Suécia aconteceu pacificamente em 1905.

Mas foi ao final da primeira união (Noruega-Dinamarca) que os “problemas” linguísticos começaram.

O objetivo de se construir a língua escrita era claro, mas país entrou num dilema:

  1. Continuar escrever dinamarquês;
  2. “Noruguêsar” o dinamarquês
  3. Construir uma nova língua escrita com bases na língua oral.

Uma corrente liderada pelo linguista Ivar Aasen (o qual compilou vários dialetos e compôs o Nynorsk) defendia o radical abandono do dinamarquês e a rápida composição de uma língua norueguesa. A ligação entre a idéia de nação e língua para a formação de uma identidade nacional era bastante forte.

Do outro lado da corrente estava o linguísta, Knud Knudsen, o qual pregava a prudência e a construção da nova língua escrita atraves da língua falada. O Bokmål é o que poderíamos dizer da junção do norueguês falado com alguns traços de herança dinamarquesa na escrita.

Vocês devem estar se perguntando, sim, mas e no que deu o resultado?

Bom, a professora nos mostrou um mapa da Noruega onde em 1945 apenas 15% da população falava Nynorsk e 85% o Bokmål (mapa de 2007, para ele só as cores correspondem).

Hoje, o Bokmål é a língua dominante, apesar do forte lobby do Nynorsk (hoje minoria, mas em forte crescimento), e é usado nas escolas e repartições públicas.

Muitos devem estar pensando qual a vantagem em ter duas linguas que, em vez de facilitar, complicam a situação. Bom, primeiramente é uma idéia bastante excitante, do ponto de vista acadêmico e social. Acadêmico pois a língua está em constante evolução, entre outros. Social pelo fato de todos terem espaço na sociedade para se expressar através de sua língua nativa (vejam o caso do Paraguai – com o espanhol e guarani).

Lógico que tem inúmeros pontos negativos, entre eles o de aprender a língua. 😉

Achei interessantíssima a aula. Ahh, detalhe, conseguimos enterder tuuuudo!!

Bom, o segundo tempo começa com a professora dinamarquesa (uma figura!!). No entanto, a aula foi menos interessante que a anterior.

Ela falou de varias coisitas curiosas e depois nos mostrou quais as maiores diferenças entre o sueco e o dinamarquês, na escrita (pois no oral é praticamente impossível entender).

Uma curiosidade: A bandeira dinamarquesa é um símbolo de alegria, muito mais do que de nação. A bandeira é usada em festas, nascimentos e é sempre relacionada a algo festivo.

Ela lembrou dos últimos acontecimentos que envolveram a queima da bandeira dinamarquesa em vários países em demonstração de ódio contraas caricaturas de Maomé. Ela lembrou que em vez de raiva, seus conterrâneos sentiram uma tristeza profunda ao vê-la queimando.

O mais engraçado foi na hora em que ao começar o seminário alguém perguntou em que língua ela falaria (já que ninguém entende dinamarquês). Ela disse que falaria em “escandinavo” (ou seja, sueco) pois os suecos consideram sua língua como a principal. No entanto, ela rebateu com o seguinte dito:

O sueco (a língua) é o dinamarques falado de forma mais clara.

Entretanto, os suecos costumam dizer:

O dinamarquês (a língua) é o sueco falado quando se tem papa na boca

Em resumo, duas coisas saímos falando da sala:

1. Estudando sueco, ganhamos mais duas línguas no pacote (Norueguês e Dinamarquês), já que, apesar de díficil de falar e entender, de acordo com a segunda professora, em 3 semanas é possivel um falante da língua sueca entender e começar a balbuciar dinamarquês.

2. O sueco é definitivamente mais fácil de aprender que o norueguês e o dinamarquês!!

  • A palavra em sueco do dia é granne (ar) [granne], vizinho (s)

9 thoughts on “As línguas Nórdicas

  1. Ju,
    adorei!!!! explicou direitinho a confusão da lingua norueguesa… quando tiver tempo vou explicar mais um pouco…
    o negocio ainda é mais complicado porque além das 2 linguas oficiais, tem os milhares de dialetos falados nas diferentes regiões… então fica dificil entender o povo aqui…
    mas a gente tenta, não é?

    beijos

  2. Elaine says:

    Ei Jú!
    Muito interessante tudo o que vc escreveu. Vc comecou no Komvux e daí fez um exame e entrou para fazer esse curso de suéco pela universidade.
    Em que nível do Komvux é possível fazer o exame de admissão para esse curso da universidade?
    O que te levou a deixar o Komvux e optar por esse curso, já que não é de nível universitário?
    O que vc achou do curso de suéco no Komvux?
    Vc acha possível entrar para a universidade para fazer uma graduacão tento estudado somente no Komvux?
    Jú eu sei que todas essas perguntas são pessoais, assim se vc puder responder, bacana, mas se não, tranquilo.
    Eu vou comecar no Komvux dia 13 de maio. Mas eu quero realmente aprender suéco, quero entender, quero falar correto, mas todos os suécos que eu conheco (incluindo o meu marido) falam muito mal do Komvux, falam que é uma porcaria. Eu olhei cursos da Fokus mas eles comecam num nível já mais avancado, e eu conheco pouco ou quase nada do suéco. Eu quero estudar química em Uppsala, por isso pensei nesse curso da universidade de Stockholm. Eu moro em Bromma mas eu nunca encontrei um brasileiro se quer nessa cidade, vc é a primeira que eu sei que mora aqui perto em Solna. Bom, obrigada.

  3. Mercia querida, eu gostei de ouvir norueguês!!! Vou ficar aguardando teus posts sobre a língua. Achei interessantíssimo!!! xero

    Olá Elaine
    Primeiramente, obrigada pela visita…

    Às perguntas…

    Então, comecei no SFI e concluí em 6 meses. Daí comecei no SAS G (grundläggande) e fiz a prova para a uni em maio de 2007. O resultado da prova saiu apenas em junho. Para não ficar sem fazer nada continuei no SAS G.

    Durante este período, gostei bastante da escola na qual estudei. Os professores foram bons e não tenho muito do que reclamar. Na verdade, minhas melhores lembranças de aprendizado do sueco tenho do tempo do SFI e do Komvux.

    Optei pela universidade porque precisava do status de estudante universitário. Um outro ponto que contribuiu para minha escolha foi o fato de gostar do ambiente universitário e do curso ser um pouco mais rápido que no Komvux.

    Não existe nível de komvux que seja exigido para fazer a prova da universidade. Eu tinha terminado ha pouco tempo o SFI qdo fiz a prova. As exigencias para o curso tu podes encontrar aqui

    Não vejo nenhum problema nem impedimento em concluir o curso no Komvux e fazer uma graduação na uni. No entanto, é necessário que se tenha o SAS B e Ingles A para ser aceita em qq curso universitário na suécia.

    Muitos suecos têm razão quando falam mal do Komvux, entretanto generalizam demais. Como disse, o curso oferecido pela kommun de Solna (na época em q cursei) foi muito bom. Agora, que passou para uma administracao privada e não estudo lá, não posso afirmar. Esta avaliação só você cursando é que vai poder fazer.

    Só uma coisa: Tenta não começar na escola com esta idéia que pode ser ruim. Fique aberta para novas experiências e tente avaliar o curso pelas tuas necessidades e avanços. Se livrar de todo e qualquer (pré)conceito diante de uma nova situação é o melhor caminho a seguir.

    Boa sorte

  4. Adorei o seu post,tudo bem explicadinho.
    Já morei na Dinamarca por quase dois anos e no momento estou morando na Noruega.Sou apaixonada pela história que envolve estes tres paises escandinavos.

    Bjo

    Tamara

  5. Sandrinha says:

    Etâ como eu aprendo neste blog, Jú você é um amor.
    Abraços fraternos.

    Também amei as suas respostas aos comentários tú tem poder hein lindinha e uma energia maravilhosa.

    Muito axé.

  6. Márcio says:

    Oi Hej Hur mar du ???? Jeg Heter Márcio
    Gostaria que alguem me ensinasse Sueco ou Noruguês Norsk
    Eu sei muito Pouco e tenho um amigo que me ensinou algumas Palavras !!!!

    Meu e-mai lé esse : marcio_eusoueu@hotmail

    Vi snakkes !!! Adjo !!!!!

Comments are closed.