Etiqueta sueca

Ilustração: Angel Pantoja

No jornal que assinamos existe um espaço dedicado a regras de etiqueta. De quando em vez sempre dou uma olhada para rir com as perguntas e respectivas respostas.

Hoje, na página principal do jornal na internet, vi uma pergunta que me chamou atenção: Como escapar de ser abraçado por um parente? Fui imediatamente ler a pergunta completa e ver qual a solução para esta estranha questão.

Slippa kram och klapp?

A pergunta: O que podemos fazer para escapar de um abraço de pessoas que não queremos ter contato corporal quando nos encontramos? (Os sueco costumam dar um leve abraço e tapinhas nas costas quando encontram amigos e parentes) No mais próximo círculo familiar, existem algumas pessoas que são “peguentas/grudentas”, especialmente uma mulher que infelizmente não têm como escapar em festas de família. Se eu consigo evitar um abraço, ela “dá uma batidinha/passa a mão” nas minhas costas quando fala comigo. Existe alguma forma que não seja desagradável para dizer a ela que ela não me toque de jeito nenhum, ou o jeito é suportar ?

A resposta: Você tem minha simpatia – É desesperadamente desagradável ser tocado por pessoas que não queremos ter contatos mais próximos. Você pode começar estendendo a mão se esticando um pouco e dizer “Eu prefiro cumprimentar desta forma”, e ver se ajuda. Se não, você diz a ela quando a mesma se aproximar “Atualmente estou com problemas com contatos muito próximos, podemos então apenas apertar as mãos”. Ela pode acreditar no que quiser sobre teus problemas, que com certeza ela vai interpretar desta forma, que você não quer ser tocada por ela. Hoje em dia tornou-se comum, que todos se abracem ou toquem uns aos outros, com o objetivo de mostrar cordialidade e amizade. Mas temos o direito [de preservar] nossa intimidade/integridade evitando o contato com pessoas que não queremos aproximação.

Ta aí uma característica bem sueca: ser franco, sincero.

  • A palavra em sueco do dia é ärlighet [érlighet] , franqueza, honestidade, sinceridade

8 thoughts on “Etiqueta sueca

  1. Oi Juliana,

    De nada. 😉

    Fico me perguntando: o que será que os suecos iriam pensar dos nossos três beijinhos (ou dois, ou um, dependendo da região)?

  2. Eu quando contei pras minhas amigas suecas dos três beijinhos na bochecha elas me olharam como se fosse de outro planeta. A conversa chegou a ser surreal:

    – Os dois beijam-se na bochecha ao mesmo tempo?
    – Sim.
    – Mas como é possível?
    – Entorta um pouco a boca que dá.
    – Mas não dá! (Aponta pra perto da orelha.)
    – Não é ali, é aqui. (Aponto pra perto da boca).
    – Aqui? Mas é quase um beijo na boca!
    – Só se for pros padrões suecos.

    😀

  3. Monica says:

    hej, Juliana,
    é sempre um prazer ler o seu blog. Estou morando en Linkoping este semestre. Na verdade estou adorando, mas realmente falta o social. Pra mim isto de nao tocar e nao dar beijinho é ótimo pq eu nunca gostei mesmo, e olha que sou do Rio? To descobrindo meu lao sueco.
    Beijos
    Monica

  4. Janaina Souza says:

    Oi Juliana,
    Estou em processo de mudanca aqui para Suécia … Malmö. Já estive aqui em outras ocasiöes, enquanto o visto não sai e realmente este lance de não se beijar qdo se cumprimentam, é realmente complicado, justo eu que sou, ao contrário da Monica (comentário acima), uma típica carioca rsrsrs É claro que a as pessoas tem o direito de gostarem ou não de determinados tipos de contatos, independente de nossa nacionalidade, mas q para mim, é ainda um “dilema” qdo encontro algum nativo, isto é – na verdade eu procuro me adaptar, já que eu estou me “inserindo” à cultura deles, mas as vezes sinto q alguns amigos do meu marido procuram dar os ditos “beijinhos” só para serem mais sociáveis e a situacão eh sempre cômica …
    Como vcs, tb sinto falto do social, muito embora entenda e respeite este lado dos suecos – qto a franqueza, acho realmente interessante esta característica deles e na verdade é tão mais fácil e dinâmico qdo a gente lida com as pessoas sem “máscaras”, não é mesmo?
    Bjs,

Comments are closed.