O fracasso do “findi” e o estomago

Sundsvall
Image via Wikipedia

Estou no trem voltando para Estocolmo. A viagem até Sundsvall foi ótima. Passou super rápido, mas meu estômago já dava sinais de que o final de semana não seria fácil. Dito e feito.

Passei uma noite de cão. Meus vizinhos no hotel, muito barulhentos, não me deixaram pregar o olho durante a noite. Parece que o local não é isolado contra barulhos. Ouve-se tudo, simplesmente tudo o que acontece nos corredores. 

Pensei, vamos compensar isso com um ótimo dia de aula, não é Ju?! Errado. O professor e meus colegas de classe, como sempre, foram uma simpatia, mas sinceramente não merecia uma “subida” (Stockholm-Sundsvall).

A aula acabou mais cedo e eu com meu estomago nervoso decidi pegar o último trem de volta para casa, mesmo sabendo que tenho aula amanha.

O motivo? Estou no meio de uma crise de estômago. Estou com uma dor que vai e vem há três semanas e nao sei quando ela vai passar. Ela costuma vir em períodos, então é só esperar e descansar (ou tentar!). É dor, muita dor e mal estar.

dorQuem me conhece de longa (ou de curta!) data sabe que tenho uma relação mal resolvida com este organismo desde os 15 anos. É difícil eu cair doente, mas se ouvir que estou mal é por conta do estômago.

Nunca ninguém me deu unzinho diagnóstico sequer.

Não tenho gastrite, úlcera, nem cancer! Fiz seis endoscopias, até então, várias ultrasonografias, testes alérgicos, exames de sangue não dá em nada. Gastrigte nervosa, talvez? IBS, estresse, gases, má alimentação? Bom, sinceramente, não sei o que dizer. Nem os médicos daqui nem os do Brasil.

O que é certo é que preciso aprender a relaxar. Ser uma pessoa menos tensa.

Na Suécia, comecei a fazer exames em novembro de 2007. Em março de 2008, se nao me engano, a minha médica me deu um diagnostico de IBS e enviou uma requisição para um hospital onde eu “aprenderia” a viver com a doença. A fila de espera para a escolinha era de cerca 2 anos.

O hospital devolveu a requisição alegando que eu não preencho os requisitos da doença. Aqui, se diz que se tem dor na barriga/abdomen (mage), o que inclui o estomago e intestino. IBS é algo relacionado ao intestino, mesmo se existem casos excepcionais que tratam do estomago (o que poderia ser o meu caso). Eu sou bem específica quando vou ao médico. Aprendi logo em sueco a diferença entre estomago e intestino e passei a dizer exatamente onde doi. Mas pelo visto não ajuda muito.

Como paleativo, mastigo umas pastilhas quando sinto que a dor vai começar e tomo um remédio para quando estou em crise. Na verdade, a ordem da vez é deitar-se. Não é para ficar sentada ou inclinada. É para se deitar e ponto.

Mas como posso deitar se tenho tanto o que fazer? Como posso apenas me deitar “apenas” porque estou com dor? Como posso dizer se estou doente se nem um diagnóstico tenho? Se falto aula (ou precisasse faltar alguns dias no trabalho – caso eu o tivesse), como posso pedir atestado se nenhum médico é capaz de dizer o que tenho? 

Após essa maratona, minha médica sueca apenas disse que minha dor é crônica e que tenho que me deitar, como falei acima.

Uma coisa é certa, após a Páscoa, preciso voltar a fazer exercício físico. Talvez ajude em algo. Na acedemia que vou me matricular, vou tentar fazer yoga ou algo do gênero assim como outros tipos exercícios.

  • A palavra em sueco do dia é magsäck [mógsék], estômago
Reblog this post [with Zemanta]

25 thoughts on “O fracasso do “findi” e o estomago

  1. Ju, tinha muita dor de estômago até descobrir que era leite. Era no estômago mesmo, não no intestino. Parece besteira, mas agora que corte meu amado leite do cardápio é só tomar um pouquinho que começo a ter dor de novo.
    Espero que você ache algum diagnóstico que tenha tratamento.

    O último post de Érica foi Friday – Freebie 13.02.09.

    • jumoreira says:

      Oi Erika! Que bom que você descobriu seu problema. Aqui existem varias pessoas que têm intolerancia a lactose e nos supermercados é possivel achar uma enorme gama de produtos sem a substancia. Mas não é o meu caso! :(
      Obrigada pelo comentário. :)

    • jumoreira says:

      Diego, a historia dos barulhos merece um post! heheh

      Quanto as dores, já ouvi médicos falarem que pode ser gastrite nervosa (apesar de nao ter tido nenhum estress recentemente que acarretasse isso). Quanto a água, não creio que seja isso, senão posso dizer q tenho problema com a água do mundo inteiro, já que minhas dores começaram no Brasil. 😉

      Obrigada pelo comentário e estimas de melhoras.

  2. Oh Ju, um carinho bem quantinho pra vc, já que nao posso fazer nada. Dor é uma coisa super chata, cronica entao é como viver com uma espada apontada pra sua cabeca!!! Tenta de tudo minha linda!!

    BEIJOS e melhoras

  3. Ju, parece que vc somatiza tudo no estomago…é horrivel, eu somatizo na pele e nao adianta dizer que precisa aprender a conviver ou relaxar…é mais forte q a gente.
    Bjs e fica bem.
    Meire

    O último post de Meire foi Jardins de Havaianas.

    • jumoreira says:

      Pois é Meiroca, também tenho essa sensação. Mas qdo falo em relaxar vai além de deitar e dormir. 😉 Quero dizer que preciso aprender a ser menor tensa. Talvez meditação ou algo do tipo me ajude a chegar em um nível de tranquilidade que preciso p nao trazer os problemas do mundo para meu estomago. Afinal, ele é bem pequeno para suportar tanta coisa. 😉
      xero e obrigada…

  4. Adriana says:

    JUliana,

    O primeiro recadinho diz que a garota tem alergia à lactose, acho que pode ser seu caso, ou talvez alergia a glúten. Estou lendo um livro sobre compulsão alimentar de uma escritora alemã e ela alerta que algumas pessoas sofrem com o glúten e não sabem. Tente fazer uma “dietinha”, tire alimentos que contenham esses ingredientes, aqui na Suécia é fácil encontrar produtos sem lactose ou sem glúten.
    dá uma agonia, ouvir vc falar de sua dor… poxa, tente se cuidar. Você é seu bem mais precioso.
    beijokinhas e melhoras… :)
    Adriana

    • jumoreira says:

      Olá Adriana. Muito obrigada pelo teu comentário e estimas de melhoras.

      Sabe, fiz testes alérgicos aqui e descobri que não sou alérgica nem ao gluten nem a lactose. Seria a “morte” para mim, já que adoro pães e derivados, assim como queijo (sou uma “rata”). Antes dos testes alérgicos, fiz essa “dietinha”. hehehe Mas bom ela nao deu resultado. :(
      Mesmo assim, obrigada pelas dicas! 😉

  5. Pingback: Pensieri e Parole » Blog Archive » Criar widget com imagens “zoomavel”
  6. Bela says:

    Olá, Juliana.

    Acompanho seu blog há um tempo e me interesso pela Suécia pelo mesmo motivo, acredito eu, que te fez mudar pra este país ao extremo norte do globo: um viking.
    Porém o que me chamou atenção e me deu vontade de comentar foi sua já famigerada dor de estômago. Hoje em dia convivo muito bem com a minha, que me visita muito raramente. Resumindo meu caso, descobri, por observações próprias, que minha dor estava ligada a stress, chateações e angústia gerada por minhas expectativas. Não sou um pessoa fechada, muito pelo contrário, mas a solução pra mim foi lidar de forma mais direta com minhas preocupações e expressá-las de alguma forma. Claro que isso adotado com um regime com pouca fritura e gorduras ajuda muito.
    A gente, as vezes, subestima muito a influência que nossa condição emocional tem no organismo. Bem, fica aqui meu recado. Espero ter te ajudado de alguma forma.

    Prends soin de toi!
    Bix

    • jumoreira says:

      Oi Bela!! Muito obrigada pelo comentário e estima de melhoras. Tento na medida do possível manter uma alimentação balanceada e não me estressar muito. Estou tentando, na verdade, reaprender a encarar os problemas, obstáculos e a vida de uma forma mais leve para que com isso possa ajudar nesse processo de melhora. Mas tudo leva tempo e é necessária muita paciência. Estou na luta. 😉 Merci… :)

  7. Oi Ju, eu sou um pouco como vc. Se estou stressada, nervosa, anciosa, dai tenho uma pontada logo no estomago, mas nada como vc. Coitada, deve ser muito chato isso. Procura mesmo fazer exercio. Quem sabe nao ajuda. Uma boa páscoa pra vcs. Bj

    O último post de celia foi FELIZ PASCOA !!!!!!!!.

    • jumoreira says:

      Ai Célia, sou uma pessoa bem ansiosa mesmo e a dor é chatíssima, mas estou tentando aprender a diminuir a ansiedade. É questão de tempo mesmo. Obrigada pelo recadinho. Espero que você tb tenha tido uma boa páscoa! 😉 bjos

  8. Juzitia querida,

    tadinha de voce!!!! nessas horas eu queira tanto saber medicina! queria tanto ser uma curandeira! detesto ver quem eu gosto com dor ainda mais quando nao ha uma coisa que tome e cure!

    espero que os conselhos mais sabios dos outros leitores possam te ajudar… eu tenho tambem, como agora que tive que levantar pra cuidar do angelo e fico com insonia… mas tem a ver com comida errada e ter tomado um analgesico… um medico no brasil disse ha pessoas que o organismo nao consegue assimilar medicacao… entao o organismo so pega os efeitos colaterais… como meu… eu tomo analgesico de burra, porque nao resolve muito a dor de cabeca e ainda da dor no estomago…

    melhoras pra voce!!!!!

    • jumoreira says:

      Sonia amore, obrigado pelas palavras de apoio! 😉 Acredito q vc daria uma ótima médica (ou curandeira). Afinal, vc é um doce e so com suas palavras já da p qualquer um se sentir bem! 😉 Brigadinha pelas estimas de melhoras!

  9. Ah! Ju!

    acho que sua ideia de “relaxar” ja que voce percebeu que o problema pode ser stress, somatizacao etc… e excelente.

    Pra mim o que ajudou muuuuuuuuito foi exercicio fisico tambem!
    E nao so as aulas tranquilas me ajudam, mas ao contrario as que me fazem jogar muita energia pra fora.

    Fiz yoga no Brasil e aqui faco de vez em quando. Mas sou fiel ao Pilates Med boll e ao Body combat. Ajuda a deixar o corpo relaxado, cansado para dormir e sem dores.

    beijos e boa noite!

    • jumoreira says:

      Pois é, Sonia, prometi começar na academia após o feriado da páscoa mas as coisas ainda estao rendendo e não me matriculei ainda. Mesmo se todos os dias digo p mim que vou lá. Como vc, eu adoro Pilates (nunca fiz com a bola!) mas infelizmente a academia que vou me matricular não tem o exercício. :( Me sentia realmente muito bem depois de fazer Pilates.
      Lá existem outros métodos que estou animada a testar. Vamos ver no que dá. xero grande

    • jumoreira says:

      Oi Ane!! Quanto tempo!!! Não estou 100% ainda. O processo de recuperação após uma crise leva tempo, mas sei que estou no caminho certo para ultrapassar mais essa! 😉 Valeu pelo link sobre Mallu! :) xero grande

  10. Ju, esquece essa de dor crônica. Nao há, menina. OLha, eu tinha o mesmo problema que vc. Corri de médicos a médicos. Lá e cá. E gracas a Deus fiquei curada. OLha, isso é sistema nervoso. Nao é úlcera, câncer, nada. Outra coisa, faca exerciciosw fisicos, de preferência, caminhadas para liberar os gases. Eles dao cronicas cólicas. E cuide melhor da alimentacao. A minha médica me revirou por dentro toda. E no final, depois de todos essesa exames que vc mencionou, concluimos que eu PRECISAVA RELEVAR, RELAXAR MAIS.
    Outra coisa: viva seu tempo. Nao faca muita coisa ao mesmo tempo. Muitas vezes achamos que podemos mas o corpo reclama em outra esfera e ficamos meio que perdidas.Sem saber.
    E tem outra coisa: tem muita estrangeira que está tendo uma dor do lado esquerdo que nao tem médico sueco que descubra. Mas é emocional.
    TENHO CERTEZA, JULIANA, QUE QUANDO VC COMEDCAR A TRABALHAR TUDO ISSO SUMIRÁ. Inclusive, a ansiedade que vai se acalmando.
    bjs e dias felzies

    • jumoreira says:

      Grace, querida, obrigada pelas palavras de carinho. Você tem razao quanto achamos que podemos fazer muitas coisas! Não levamos em conta os recados que o corpo nos envia e dá nisso!

      Quanto as estrangeiras que você comentou, é realmente muito chato isso. No meu caso, minhas dores começaram quando eu ainda adolescente morava no Brasil. O problema de “dor emocional” é que por não haver comprovação ou medicação torna-se difícil “entrar no esquema” do mercado de trabalho/estudo ou seja lá o que for. Mas bom, tudo se dá um jeito, não é?!

      xero grande p vc e mais uma vez obrigada!

Comments are closed.