Pais suecos ganham mais tempo de licença a partir de 2016

bonecos desenhados no chao, homem, mulher e carrinho de bebêApesar de ainda estarmos longe da igualdade de oportunidades e direitos entre homens e mulheres, existe na Suécia uma tentativa de, ao menos, não deteriorar ainda mais a situação da mulher quando esta torna-se mãe. E é na lei de licença parental que isso se mostra mais evidente.

O parlamento sueco aprovou na data de hoje uma mudança na lei de licença parental que afeta familias cujas crianças estão previstas para nascer a partir de 1/1/2016. A partir do primeiro dia do ano, haverá o aumento dos dias reservados (obrigatórios) da licença  para cada um dos pais, passando de 60 para 90 dias.

Na Suécia, a licença parental é de 480 dias, um pouco menos de 1 ano e quatro meses, que podem ser igualmente divididos (ou não) entre a mãe e o pai da criança. No entanto, desses 480 dias, 60 deles são reservados a cada um dos pais (120 no total), não podendo portanto serem cedidos ao parceiro. A licença parental se aplica também a adoções.

Segundo divulgado pelo INSS sueco (försäkringskassa), a medida visa:

  • aumentar igualdade no mercado de trabalho;
  • aumentar igualdade no que toca os cuidados da casa e das crianças;
  • reforçar o direito das crianças em conviver com ambos os pais.

A decisão passa a valer a partir de 1/1/2016 e afeta famílias cujas crianças nascerem a partir dessa data. :)