Noite longa e neve na cintura

Ainda bem que já amanheceu. Apesar do cansaço monstro, só consegui dormir às 24h e às 02h da manha já estava em pé cheia de energia pensando que já estava na hora de ir para a aula.

Ontem, como parte da prática do curso, fomos “cobrir” a competição de esqui de orientação (skidorientering, em sueco, e ski-orienteering, em ingles) que está rolando aqui em Sundsvall. Foi muito divertido, rápido, frio e cansativo. Depois explico melhor em português o que significa

Bom, eu não senti frio porque estava muito bem “equipada” com minha calça super forrada que comprei numa loja de segunda mão, baratíssima (novas, elas custam em média 2 mil coroas, eu comprei por míseras 85 coroas) e uma meia calça de algodão e acrílico. Acho que fui uma das únicas pessoas que não sentiu sequer um pouquinho de frio. 😀

Eu me joguei, literalmente, na neve na busca de um bom ângulo e de uma boa foto. A busca foi tanta que ao procurar um local “exclusivo” enfiei meu pé num local onde a neve não estava firme e pof, “fui puxada pela gravidade para as profundezas na neve”. Fiquei enterrada na neve até a cintura  por alguns minutos (sem sentir frio algum, lembram da calça?).

O dia ontem estava estupendo. O que me deu uma energia enorme. Durante quase duas horas, saltitei de um canto a outro, corri e me joguei no chão diversas vezes. A tarde, eu estava exausta!! Também, pudera! Meu professor riu a beça comigo ontem.

Tínhamos oito tarefas a cumprir. Oito tipos diferentes de fotos, as quais só me lembrei de fazer quase no final da competição. 😉 Começamos a trabalhar as fotos que ficaram escuras no Photoshop para dar “aquela melhorada” e hoje vamos discutir como chegamos a tais fotos. O professor também deve abordar as fotos que enviamos semana passada (o dever de casa!!) e passar mais fotinhas para o próximo encontro, em março.

As coisas começam a ficar mais claras na minha cabeça, o que me faz ficar bastante satisfeita.

Depois publico as fotos do findi!

Siiiim, já ia esquecendo. Neste encontro não eramos apenas 6 (ahaha lembrei do título da novela do SBT!!) mas 16!! Acreditem. Um dos novos alunos é de Estocolmo. Uma garota muito doce e agradável.

Volto para casa no trem das 16h11! Feliz da vida sonhando com minha cama e travesseiros.

Agora vou indo arrumar as coisas, pois nossa “anja da carona” vem nos buscar. Além disso, o cafe da manha começa em 30 minutos e eu to morrendo de fome!! 😉

Começar de novo

Tantas coisas acontecendo que esqueci de escrever por aqui que fui aceita em todos os cursos para os quais me inscrevi para o primeiro semestre de 2009 (chamado de semestre da primavera ou vårtermin – VT09). Na verdade, me inscrevi em seis cursos independentes.

Um parênteses: Nas universidades na Suécia existem programas (jornalismo, direito, engenharia, etc) e cursos independentes (friståendekurs – cadeiras que você pagaria dentro de um curso regular no Brasil) para os quais você se increve em duas ocasiões (até 15 de abril para o semestre do outono, o qual se inicia em agosto, e até 15 de outubro para o semestre da primavera, que se inicia em janeiro).

Segundo o site studera.nu, onde os interessados em estudar em uma escola superior precisam se inscrever, você pode estudar apenas 45 hp (pontos universitários, podemos dizer assim) durante um semestre. 30 hp é considerado estudo a 100%, ou seja, a tempo completo. Após a escolha dos cursos/programas você precisa organizá-los em ordem de interesse para que o sistema de classificação possa te encaixar de acordo com tuas escolhas X vagas.

Então, dos seis cursos que me inscrevi, cada a 7,5hp, um foi cancelado e outro não estou mais interessada. 

O interessante de estudar em uma universidade na Suécia é a forma como os cursos são organizados (seja em um programa, curso regular no Brasil, seja em cursos independentes). Enquanto no Brasil estudamos, por exemplo, seis disciplinas paralelas durante um semestre inteiro, na Suécia, você vai estudar uma disciplina durante 5 ou 6 semanas para só após seu término começar uma nova.

O legal disso é a intensidade com a qual se estuda para uma determinada matéria. É possível mergulhar a fundo na disciplina estudada e não se preocupar em correr de um canto para o outro rodeada por toneladas de assuntos para provas.

No meu caso, os quatro cursos que vou fazer funcionam desta forma, mas como não estão dentro de um programa, alguns deles vão se chocar. Outra coisa, apesar da minha má experiência com cursos à distância, resolvi não me dar por vencida e me inscrevi em dois deles. Vamos ver se cursos a distância ministrados por universidades vão conseguir mudar minha opinião a respeito do método.

Vamos aos cursos:

  1. Interaktionsdesing (Design de interação) – Universidade de Umeå (curso a distância) – Um dos cursos que mais estou empolgada para fazer!!
  2. Fotografia – FotojornalismoMitt Universitet, em Sundsvall (curso a distância, mas com 4 presenças obrigatórias). Outro curso que estou empolgadíssima. Quero refrescar minha memória e aprender os conceitos e técnicas em sueco! Ele começa em alguma data na semana 4.
  3. Design av interaktiva miljöer (Design de/nos meios interativos) – DSV
  4. Modeller och Databaser (Modelos e base de dados) – KTH (curso presencial) – Este curso só começa em abril!

Comecei a pesquisar sobre livros e tive um susto quando vi os preços! Caaaaros! Alguns deles vou comprar de segunda mão, melhor opção para economizar, outros, os que não encontrei usados, vou comprar novos. Mesmo assim, vai ser uma bolada.

Uma coisa que percebi é que dos 6 livros exigidos pelos cursos (excetuando as brochuras), apenas dois são em sueco. O restante é em inglês! Já comprei um deles através do site Kurslitteratur, onde é possivel entrar em contato diretamente com os estudantes que vendem os livros e encomendei dois novos.

*****
Mudando um pouco de assunto! Ouvi há pouco no rádio que a noite de hoje (do sábado para o domingo) foi uma das mais frias dos últimos 12 meses com alguns locais marcando -35 graus.

Não é de se surpreender após acordar pela manha e ver o termômetro marcar -21 graus :0 para temperatura externa e 10 graus na cozinha. Adoro!!

Em dois dias estamos voltando para casa, o que significa alguns graus mais quentes. 😉

  • A segunda palavra em sueco do dia é fristående , [fristôende] independente, separado

Na rua, na neve e na cidade

Vocês já devem estar cansados de saber o quanto gosto de frio e neve. Quando vejo caindo, fico igual criança, doida para ir para rua, só para curtir. Ontem, ainda com ventos fortes, não me arrisquei, mas hoje, com a previsão de que a neve desaparecerá até o final da semana (é provavel que amanhã não tenha mais nada), fui direto la fora dar uma volta e aproveitar para tirar algumas fotos.

Estava sem paciência para tirar a máquina da bolsa, foi com o telefone mesmo. Desculpem, mas estou com uma enxaqueca horrível e achei que a caminhada melhoraria algo. Ledo engano!

Essas duas primeiras fotos são aqui da frente de casa.

Quer dar uma volta? Caminho

Estas duas outras também… Uma pisada de leve (mas eu queria mesmo era me jogar no chão! 😀 )

De leve... De leve...

Vejam abaixo como é difícil ter carro estacionado na rua em tempos de neve. Pense no trabalho!!! Imaginem a sujeira que fica. Lama, lama e lama…

Trabalha...

Aqui vocês podem conferir um ótimo trabalhador

Um ótimo trabalhador!

E as pedrinhas que os caminhões, responsáveis por abrir caminho, jogam no chão. Elas ajudam a aumentar o atrito e evitar quedas e escorregões.

DSC01136 pedrinhas

Olhem a minha cara de contente…

Amo muito tudo isso... Amo muito tudo isso...

  • A palavra em sueco do dia é snögubbe [snö gúbe] , boneco de neve

Neva la fora e aqui…

“…não “faz” tão friooo”. Quis fazer alusão a clássica música de Lobão “Chove la fora”, mas neste caso não funciona e até soa errado em português, já que seria “está frio” ou “não está frio”. 😉 A primeira neve do ano em Estocolmo caiu hoje de manha… adorei. Apesar de ter derretido ao chegar no chão. Adoro neve. Adoro frio

Muita gente pergunta se aqui faz frio no inverno. Na verdade muita gente acha que aqui faz frio o ano inteiro. Os suecos, no entanto, costumam repetir uma frase que cai bem neste post:

Det finns inget dåligt väder, bara dåliga kläder!

Não existe tempo ruim, apenas roupas ruins!

Confesso que senti muito mais frio morando na França do que na Suécia. Explico:

Voltando as casas. Muitos apartamentos e casas são construídos com janela dupla (uma interna e outra externa. Outras, mais modernas, possuem três. Todas elas são bem isoladas e imepem que o frio entre. O sistema de aquecimento funciona bem e a temperatura média das casas gira em torno dos 22 graus.

Na França, parece que  não adianta aumentar o aquecimento pois como as casas não são bem isoladas, o calor não é aproveitado. Olhe que tenho experiência com diversos tipos de moradia na França, passando por apartamentos, casas e quartos.

As casas suecas / les maisons suédoises

Hoje, no jornal, foi publicada uma reportagem sobre os 60 anos da doação de casas suecas à um vilarejo em Caen, na região da Normandia, localizada no norte da França. A iniciativa partiu de um jornalista sueco que havia estudado na cidade e que, após uma visita a Caen, ficou perplexo com tamanha destruição. Victor Vinde ativou sua rede de contatos e conseguiu que a Suécia fizesse tal doação.

O interessante são as comparações que os próprios franceses fizeram à época da doação. Um em cada dois entrevistados acha que apesar de sexagernárias as casas ainda são modernas.

Em 1946, 400 casas de madeira, uma igreja e duas creches chegaram ao porto de Caen em um navio para serem montadas, mas apenas em 1948 elas ficaram prontas para serem habitadas. Foi neste momento que as casas causaram comoção.

Sven Ivar Lind foi o arquiteto responsável pela projeção das modernas casas suecas. As casas foram projetadas como um duplex (térreo e primeiro andar), três quartos, jardim, eletricidade, uma central de aquecimento e banheiro. O banheiro foi o que chamou mais atenção, já que na França da época, banheiros eram contruídos do lado de fora das casas.

A parte funcional das casas também foi uma surpresa. Em vez de móveis tradicionais, os guarda-roupas e a cozinha já chegaram embutidas. As tradicionais caixinhas de tempero sueca (kryddlåda) as quais eram possíveis puxar por uma aba de um armário embutido, foi algo realmente novo, assim como a tradicional despensa sueca (skafferi).

Além de muitos moradores afirmarem que estas eram as casas do futuro, outros foram bem mais enfáticos. “As casas suecas eram como paraísos. Elas eram quentes e secas. Era algo extraordiário e um provilégio morar lá”.

A matéria termina dizendo que a influência sueca continua. “ Hoje, 40% de todas as crianças francesas dormem numa cama IKEA”, conta o embaixador sueco durante a comemoração dos 60 anos da doação.

PS: Infelizmente não encontrei nenhuma foto em que houvesso o interior e/ou exterior das casas construídas em Caen. :(

  • A palavra em sueco do dia é element [êlement] radiador (aquecimento)
  • Em terras francesas

    Desculpem a falta de noticias. Estamos em Sainte Agnès (a cidade de litoral mais alta da Europa), no departamento região dos Alpes Maritimos, na regiao Provence-Alpes-Cote d’Azur, no sul da França. La, não tenho acesso à internet. Por isso, atualizações serão raras neste momento.

    O que posso resumir (ja que meu tempo no cybercafe esta curtissimo) e’ que Praga e’ uma cidade charmosa e cativante. Apesar de estar me sentindo mal no dia em que chegamos e passeamos na cidade, adorei. De Berlim a Praga sao apenas 340 km, entao a viagem foi relativamente curta. Curta tambem foi nossa estadia em Praga (menos de 24h), mas deu para aproveitar o que a cidade tem a oferecer. Comemos em um restaurante medieval delicioso que encontramos por mero acaso…mas be, detalhes contarei depois (sei que ja estou devendo aos montes!! hehe)

    A proxima parada foi no Lago di Garda, na Italia, mais de 700km de Praga. O Lago di Garda e’ o maior lago italiano e fica localizado entre as montanhas. Eu simplesmente apaixonei. O unico ponto negativo desta parada e’ que tudo e’ muito turistico e isso nao me agradou muito. O ponto mais do que positivo foi a belissima vista e a cor da agua, mais do que cristalina.

    Nossa viagem da uma “pausa” de 2 semanas em Sainte Agnes e depois rumamos em direçao a Estocolmo. Mas nao pensem que vamos ficar parados. Ontem fizemos uma trilha de 10 km descendo a montanha ate a cidade de Menton (ultima cidade francesa antes da fronteira com a Italia). Essa brincadeira me deixou toda dolorida.

    Hoje vamos dar uma voltinha em Monaco (cerca de 10 20 km de Menton), amanha vamos curtir praia e tomar muito banho de mar e nos proximos dias faremos uma outra trilha, rumo ao topo de uma montanha, na esperança de que o dia esteja belo para podermos observar a ilha Corsa.

  • A palavra em sueco do dia é berg [be’rie], montanha
  • Nationaldagen muito quente

    Sei, estou um dia atrasada. O dia nacional da Suécia (nationaldagen) foi ontem, 6 de junho, mas só agora dei uma parada na minha dura vida de camponesa em Kopparberg para voltar ao mundo virtual. Aliás, é bom dizer que a temperatura está muito alta. Os neurônios estão fervendo, não de problemas, mas de calor mesmo.

    No seu dia, a Suécia além de comemorar com tiros de canhão e vários balões azul e amarelo (cores da bandeira nacional) no céu de Estocolmo, pode ficar contente com a marca de temperatura mais quente da Europa (segundo o que foi divulgado no jornal ontem a noite)! Sim! Para aqueles que pensam que moramos 365 dias do ano na geleira, se engana. Aqui quando é quente, é quente mesmo!

    Já aqui em casa (quer dizer, na casa de campo da sogrinha) não comemoramos nada. Trababalhamos duro no terreno que estava cheio, mas muito cheio de mato, para deixar limpinho e poder plantar, como fizemos ano passado. No final do dia nos contentamos com um churrasquinho de salsichas! 😉

    Estou cansadinha. Aqui ainda tem muito o que fazer antes de partir para um fika na casa de Nick! 😀 Hoje a noite encontraremos alguns amigos do meu viking para jogar brännboll, um jogo que lembra muito baseball mas muito divertido, e fazer um churras de leve.

    Sobre minha viagem para o Brasil, pof!, ainda não arrumei mala alguma. Também não estou muito preocupada com isso. Quem tem direito apenas a 15 kg de bagagem não pode se dar ao luxo de “fazer malas”. Amanhã às 16h parto de Estocolmo em direção à Skavsta. Aí sim, comecará minha peregrinação.

    Para quem quiser refrescar a memória, escrevi aqui ano passado sobre o dia nacional da Suécia, uma explicação para a comemoração da data assim como desde quando virou feriado nacional no país.

    Foto: Maja Suslin/Scanpix – DN
    • A segunda palavra em sueco do dia é varm [várm], quente

    Flores, sushi e Johnny Deep

    Meu termômetro da sala está marcando -9. O sol ta brilhando la fora e tem um restinho de neve no chão. Isto significa que a rua virou pista de patinação. Olhem que os meteorologistas previram início da primavera (temperaturas subindo!) para este final de semana. Bom, segudo os próprios, segunda-feira teremos 8 graus positivos. Que tempo louco! Mas não era esse o propósito do post.

    Ontem por aqui foi o Dia dos Namorados, chamado de Alla hjärtans dag, ou seja, dia de todos os corações. Acho muito fofo o dia ser chamado assim. Ouvi no jornal que muitos adolescentes suecos se sentem mal neste dia por estarem sozinhos. Acho que isso acontece em qualquer lugar, não? Mas bem, meu viking estava todo romântico ontem. Ganhei flores, comemos sushi e assistimos a um filme. :roll:

    Sobre o filme, humm, ele queria me fazer uma surpresa. Ele sabe que gosto muito de Tim Burton e de Johnny Deep e propôs de assitirmos Sweenny Todd – The Demon Barber of Fleet Street. Topei no ato. Eu não costumo ler resenhas antes de vê-los, desta forma não sabia do que o filme tratava. O que significa que fomos pegos de surpresa. Eu simplismente amei, mas confirmei o que suspeitava. Tornei-me muito, mas muito sensível a ver sangue nas telas. Nada muito romântico, heim?!sweeny.jpg

    O filme é um musical com um estilo gótico incrível e com atuações ótimas. A história é a de Benjamin Barker – Sweenny Todd, um barbeiro, que depois de anos de exílio, volta a Londres para se vingar do responsável pela sua infelicidade e da sua família. Um filme de amor e ódio. O musical é bem original com alguns diálogos substituídos por canções que complementam a história. Você não corre o risco de ver balés e músicas fora de contexto. Só precisa ter estômago. Tem muito, mas muito sangue. Eu fechei meus olhos em quase todas as cenas do tipo, não aguentei. Outras me pegaram de surpresa. Precisei ver alguma coisa depois do filme para distrair o cérebro com algo mais leve antes de dormir. Assistam, vale a pena! 😉

    • A palavra em sueco do dia é blod [blud], sangue

    Ausência justificada

    Depois de um ano sem ver minha mãezinha, ela chegou. Desde a última quinta estou curtindo o colo da minha mãe!! É o motivo da minha ausência. Temos muito o que conversar. Hoje, começa a maratona por Estocolmo. Se as previsões estiverem certas, o dia de hoje será ensolarado, o que significa um lindo dia de passeio na cidade.

    Pena que a grande maioria dos passeios de barco pela cidade só começam em abril. Gostaria de levá-a a um em especial, mas infelizmente não dá. :( Mas nada está perdido. Agora vou lá antes que o sol desapareça.

    • O verbo em sueco do dia é promenad [promenad], passeio

    Enfim, neve! Mas até quando?

    Inverno 2007

    Depois de dias frustrados de inverno sem neve e bastante quente para este período do ano a branquinha resolveu chegar. Tímida, mas chegou. Pena que amanhã ou quinta tudo vai desaparecer. A previsão para quinta feira é de 9 graus.

    Inverno 2006Inverno 2006
    9graus (positivos) fim de janeiro é não é inverno, gente! Tá muito quente por essas bandas de cá para o período. Para muitos é um bom sinal, para mim é um sinal de preocupação. O mundo esquenta cada dia mais, as águas começam a subir (tanto dos rios como o lençol freatico) e podem fazer estragos como este aqui relatado nesta matéria do DN

    • A palavra em sueco do dia é grundvattennivå [grundvátennivô], nível do lençol freático

    Visão rosa

    Com o anúncio de um inverno “verde”, ou seja, sem neve :( e com recordes de temperaturas positivas no norte da Suécia, ganho às 15h20 da tarde de hoje um céu assim:

      visão rosa

      Ciça iria, sem dúvida alguma, querer adquirir uma nuvenzinha desta tonalidade para juntar à sua colecao! 😉

      • A palavra em sueco do dia é himmel [rímel], céu