Condutor em treinamento e seleção

Antes de todos os posts acumulados sobre passeios e visitas, queria escrever aqui duas coisas ocorreram em junho que me deixaram muito chateadas.

Como alguns de vocês sabem, estou estudando para tirar minha carteira de motorista sueca. Infelizmente, a Suécia não aceita fazer a troca da carteira brasileira com a sueca (como na França). Isto significa que meus 10 anos de carteira não são muito úteis (sim, claro que tem seu lado positivo). Para quem tem o visto de residente na Suécia, é permitido dirigir com a carteira brasileira apenas no primeiro ano de moradia no país. Depois disso, é adquirir a sueca.

Na Suécia nao é obrigatório ter de ir a auto-escola para tirar a carteira. O que é ótimo, já que o valor da carteira pode chegar facilmente a 20 mil coroas (+ de 5 mil reais) com a auto-escola. Uma pessoa que possui mais de 5 anos de carteira e tem 24 anos completos pode ser teu instrutor após passar por um curso de três horas junto com o aluno. Depois é só sair dirigindo com o instrutor do lado e uma plaquinha verde colada no carro que diz algo como “condutor em treinamento”.

Pois bem, eu e meu viking decidimos que seria uma boa ideia pagar duas horas (ou 2 x 45 min) de aula prática no intuito de aprender como o condutor é avaliado e dirigir “suecamente como iniciante”. Fomos a auto escola às 8h30 da manhã para a aula. Meu viking, que é meu instrutor particular, no banco de trás, o instrutor da auto escola do meu lado e eu no volante.

Um parênteses:

Dirijo desde os 17 anos e modéstia a parte faço isso muito bem. Pego todo e qualquer carro sem problema algum e não faço diferença em dirigir na estrada, na cidade no mato, em pista de barro, alagamentos etc. Não sou barbeira. Na verdade sou bem educada no trânsito.

Fecha parênteses

Depois de 15 min de condução,  o instrutor pede para eu parar o carro e me dá algumas dicas. Após mais cinco minutos ele pede para eu parar novamente. Ele começa a fazer uma alusão a uma limousine (como ele gostaria que eu conduzisse). Ele diz que gostaria que eu dirigisse tão sutilmente que se ele pusesse um copo de café no tabelier do carro o líquido não derramaria. Eu estava tão nervosa (detesto ser avaliada!) que falei que não entendi o que ele havia explicado.

Bem, a didática dele parece ter ido para as cucuias, se é que tem. Ele simplesmente disse que eu dirigia como um “dålig taxichauför”, ou seja, um péssimo motorista de taxi. Sem querer me alongar demais, isso me machucou muito. Chorei horrores quando cheguei em casa. Hoje já estou melhor, mas a cada tentativa de dirigir, me lembro do que ele disse, o que não me faz bem. Confesso que foram as duas horas mais caras que pagamos na nossa vida para ouvir alguém falar mal de mim. :( Essas duas horas custaram 1200 coroas (em torno de R$ 310,00).

solsorrindo.gifsolsorrindo.gifsolsorrindo.gif

A segunda coisa que me deixou triste é que fiquei na reserva de todos os cursos de graduação (chamados de programas) para os quais me inscrevi nas universidades. Devido a crise financeira e o grande número de demissões na Suécia, as universidades tiveram um aumento de 13% no número de inscrições para o ano letivo que começa no final de agosto (HT2009).

Apenas para os programas, houve um aumento de 22% nas inscrições.  Na minha faixa etária, dos 25 aos 34 anos, o aumento foi de 19%. Concorri também com os 21% a mais de jovens até 24 anos e com os 14% das pessoas acima dos 35.

Além disso, minha primeira opção de curso teve uma redução de 30 vagas em relação ao ano anterior. Em 2008, tinham 65 vagas disponíveis, mas aceitaram 100 pessoas. Este ano, 70 vagas estavam disponíveis, mas so 70 foram aceitas. :( Em 2009, na primeira seleção, 545 pessoas se inscreveram, enquanto que em 2008, foram apenas 362 pessoas.

Imagem: Ljudolf

Dos três programas que me inscrevi, fiquei respectivamente na reserva de número 49, 49 e (pasmem!) 213.

Na quarta-feira desta semana saiu o resultado da segunda seleção (após as pessoas terem aceito/respondido ou não o resultado da primeira seleção). Ainda estou na reserva da minha primeira (4 pessoas na minha frente), mas fui aceita na segunda opção.

Todas as pessoas com as quais falei me disseram que eu tenho uma grande chance (para não dizer 100% de certeza) que entrarei na minha primeira opção. Li na página da universidade que mesmo aqueles que estão na reserva (com um número baixo) receberão uma carta para comparecer no dia do registro, o que é o meu caso. Bom, ainda vou tentar entrar no primeiro programa, então é so esperar as cenas dos próximos capítulos. Daí, entro em detalhes sobre o curso. 😉

  • A palavra em sueco do dia é urval, [urvál], seleção