It’s not a joke, it’s April in Sweden

Lembram de um post que escrevi há tempos sobre a temperatura e tempo louco na Suécia no mês de abril? Pois bem, ontem quando cheguei em casa tava uma chuva fininha, até bem gostosa de curtir. Eu, trabalhando deitada no sofá nem perto da janela cheguei.

Quando meu viking chegou do trabalho por volta das 20:30, ele me pergunta se eu havia visto o quanto tinha nevado lá fora. Corri para a janela e pof, a neve de volta. Mas bom, pensei, é abril e talvez amanhã já possa ter desaparecido.

Ledo engano, car@ Wats@n! Tem mais de 5cm de neve lá fora, continua caindo flocos misturado com chuva fraquinha, o que produz neve molhada e pesada, e as ruas já foram limpas durante a semana, o que quer dizer que as preciosas pedrinhas que ajudam os carros e pobres mortais a não escorregar com facilidade já nao estao mais no seu lugar.

Para piorar, muitos motoristas, inclusive o meu aqui em casa, já haviam trocado para os pneus de verão (cuja borracha não é preparada para temperaturas baixas. :-/ E eu torcendo para poder começar a trabalhar no meu querido jardim. :-(

Sim, mas como disse anteriormente, estamos em abril e oficialmente na primavera. Amanhã espera-se temperaturas em torno de 10 graus e mesmo eu que amo neve e frio, espero que derreta tudo e que eu possa colocar a mão na massa logo! Quero preparar minha hortinha para que tudo fique indo e floresça quando minha mãe e tia estiverem de visitas. :-)

 

  • A palavra em sueco do dia é skämt [xêmt], piada

Temperatura em Estocolmo em Dezembro

No início da semana anunciaram que este será o inverno dos recordes. O mês de novembro foi o mais frio dos últimos 100 anos. Dezembro também não deve ser diferente. Já estamos com neve desde meados do mês passado e ela não para de cair e de acumular e de causar caos. Mas bom, tirando o caos eu adoro neve e frio.

Só por curiosidade, aqui vai uma imagem da temperatura em Estocolmo nas próximas 48 horas. Não se assutem. Essa não é a temperatura normal para o mês de dezembro!! Não costuma ser tão frio por aqui nesta época do ano. Os meses mais rigorosos, para quem quer se programar e escapar do frio escandinavo, são janeiro e fevereiro.

A tendência é ficar ainda mais frio já que está sendo esperado um inverno à -la Russia!! Só espero que a temperatura fique mais amena pelo Natal. Ninguém merece fazer mudança com metros de neve la fora e temperaturas não lá muito convidativas para ficar carregando caixas e apetrechos.

  • A palavra do dia é kallt [kalt], frio

Prove Estocolmo e depois vá a Londres

Bom, foi praticamente isso que fiz. Semana passada rolou um evento muito legal em Estocolmo que se chama Smaka på Stockholm (algo como Prove Estocolmo) e no dia seguinte parti para Londres. Sim, isso que vocês estão lendo. Estou em Londres e fico por quatro semanas. O objetivo é voltar para casa falando inglês como gente. Segundo minhas amigas experts, minha pronúncia é boa, mas como so falo sueco e português com o povo na Suécia, resultado? O inglês emperra e não sai.

Bom, primeiro vamos ao provatório. O evento durou cinco dias e terminou no dia Nacional da Suécia (dia em que eu deveria ter ido receber meu diploma e participar da festinha para os novos cidadãos suecos*). A idéia é a de que as pessoas possam provar a comida servida em diversos restaurantes da cidade, sem que para isso precise pagar muito. 😀

A praça de Kungsträdgården foi preenchida com vários stands, os quais serviam pratos que variavam de costelas de porco, falafel, crepe, humus,frutos do mar em uma mistureba de países e sabores muito interessante. Cada restaurante trouxe seu menu com valores razoáveis e um ou dois pratos que no valor de 25 coroas (cerca de 6 reais), esses chamados de “Prove”. Além de restaurantes, a praça estava c-h-e-i-a de gente que saiu de casa para aproveitar o ensolarado domingo. Nem preciso dizer que comemos bastante e provamos a culinária de vários restaurantes da cidade por um precinho ótimo. 😀

Além de provar Estocolmo com a boca e o estômago, fomos provar a cidade com os olhos. No dia nacional, acontecem vários eventos gratuitos na cidade como apresentações musicais, passeios guiados etc. Por pura curiosidade fomos ao Castelo Real (Kungliga Slottet) em Gamla Stan. O chato é que fotos não são permitidas, mas mesmo assim consegui tirar algumas. :)

No subsolo do castelo existe o Tesouro real, onde coroas, tronos, espadas e acessórios cheios de brilho, pompa e glamour estão guardados. O local era muito escuro e fotos era praticamente impossivel tirar. :( Lembro bem de uma coroa que vi onde os riquíssimos detalhes eram pessoas, rostos e mesmo atividades comerciais, em miniatura. Arte.

Chegamos em casa mortos de cansados e energia para fazer malas eu não tinha nenhuma.

Já a viagem para Londres começa lá em abril, quando na Páscoa decidi que queria fazer um curso de inglês no Reino Encantado de dona Beth em junho. Vi que poderia receber o crédito educativo, procurei uma escola legal, conversamos em casa e decidimos que seria uma boa idéia, principalmente porque iria respirar outros ares após o ocorrido em março. Comprei duas passagens, uma com partida dia 6 de março para Londres e volta no início de julho e outra para passar o Midsommar na Suécia. Ambas baratissimas, já que tudo foi feito com bastante antecedência.

O problema surgiu quando no dia anterior a minha viagem, ou seja, dia 5, percebo que a passagem para o dia 6 havia partida de Londres, e não de Estocolmo, como deveria ser. Entrei em pânico. A escola iria começar dia 7 e passagens em cima da hora são sempre caras. Para encurtar a história, depois de muito catar na Internet, achamos uma passagem um pouco mais cara do que comprei em abril, mas parti na segunda, dia 7 para uma doce e “solitária” aventura em terras encantadas.

Agora, vocês vão me dar licença que vou começar a me arrumar para ir encontrar a mana e Ale . Depois conto mais das minhas primeiras impressões e dos meus primeiros dias no Reino Encantado de Dona Beth. :)

* Para participar da festa deveríamos ter confirmado a presença até dia 28 de maio. Como pensei que iria viajar dia 6, no dia nacional, quando a cerimônia é realizada, não confirmei a presença.  :( Quando descobri que não iria mais viajar na data, não poderia simplemente aparecer no local dizendo “ohh me desculpem mas eu marquei a minha viagem errada e agora quero participar.” :( Bom, o dia pelo menos nao foi perdido. :)

Na rua, na neve e na cidade

Vocês já devem estar cansados de saber o quanto gosto de frio e neve. Quando vejo caindo, fico igual criança, doida para ir para rua, só para curtir. Ontem, ainda com ventos fortes, não me arrisquei, mas hoje, com a previsão de que a neve desaparecerá até o final da semana (é provavel que amanhã não tenha mais nada), fui direto la fora dar uma volta e aproveitar para tirar algumas fotos.

Estava sem paciência para tirar a máquina da bolsa, foi com o telefone mesmo. Desculpem, mas estou com uma enxaqueca horrível e achei que a caminhada melhoraria algo. Ledo engano!

Essas duas primeiras fotos são aqui da frente de casa.

Quer dar uma volta? Caminho

Estas duas outras também… Uma pisada de leve (mas eu queria mesmo era me jogar no chão! 😀 )

De leve... De leve...

Vejam abaixo como é difícil ter carro estacionado na rua em tempos de neve. Pense no trabalho!!! Imaginem a sujeira que fica. Lama, lama e lama…

Trabalha...

Aqui vocês podem conferir um ótimo trabalhador

Um ótimo trabalhador!

E as pedrinhas que os caminhões, responsáveis por abrir caminho, jogam no chão. Elas ajudam a aumentar o atrito e evitar quedas e escorregões.

DSC01136 pedrinhas

Olhem a minha cara de contente…

Amo muito tudo isso... Amo muito tudo isso...

  • A palavra em sueco do dia é snögubbe [snö gúbe] , boneco de neve

A noite sueca, o transporte público e o tempo

Reprodução de TV

Reprodução de TV

 

Está nevando deste quinta-feira. E deste ontem neva forte e sem parar. A noite, uma tempestade atingiu a Suécia e o trânsito ficou um caos. Na verdade ainda está um caos. O serviço de meteorologia do país classificou a situação em “séria de nível 2”, o que significa fortes ventos e mais neve, e pede para que as pessoas evitem sair de casa. A previsão é que o tempo permaneça assim até quarta-feira.

Reprodução de TV

Reprodução de TV

 

Nem dá para imaginar neste final de semana pegamos temperaturas de – 6 (ou alguns graus a menos) com neve torrencial e que na próxima quinta e sexta não teremos nem um rastro da branquinha na rua já que a previsão é de 5 a 6 graus para o final de semana. Mas bom, bem vindos ao inverno sueco, onde tudo é possível!!

Sábado acordei com um péssimo humor. Não sei, acho que ainda estou com algum resquício dele dentro de mim. Mas vamos ao que interessa. Muita gente tem curiosidade de saber como são as noitadas suecas, as boites, bebedeiras e como as pessoas se comportam. Nunca fui em uma boite aqui, até porquê meu viking não gosta de dançar :( . Também tenho curiosidade, por pura experiência antropológica. 😀

Quase todas as festas suecas em que fui foram realizadas na casa de alguém. Eles gostam muito de se reunir em casa, jogar conversa fora, cantar (karaokê), acompanhar eventos na TV, ou apenas jogar (inclua aí além de video game, jogos de tabuleiro como Banco Imobiliário, detetive e afins). Nas festas/reuniões suecas, é comum que os convidados tragam o que vão/pretendem beber. Por sua vez, os anfitröes oferecem petiscos, entre salgados e doces. E assim, é possível passar a noite se divertindo numa boa.

No sábado, fomos para a casa de um amigo nosso para uma noite de sällskapspel (jogos de tabuleiro, como chamamos no Recife). Como disse, estava de péssimo humor, o que não me fez curtir a noite como deveria. Mas bom. Foi muito engraçado. O pessoal jogou uns 6 tipos de jogos diferentes, inclusive um que gostei bastante (algo que lembra Imagem e Ação) mas meu conhecimento na língua me impediria de jogar.

O jogo, baseado num antigo programa de TV de mesmo nome, se chama Värsta Språket (A pior língua) e consiste em cumprir determinadas tarefas relativa a língua (sinônimos, gramática, formação de palavras etc) a cada avanço dos jogadores. Eu ri muito. Em alguns momentos do jogo, eles eram obrigados a imitar sotaques de diversas partes da Suécia e os restante dos participantes teriam que advinhar. Nem preciso dizer que a noite foi recheada de piadas e imitações catastróficas.

Saímos de lá quase as 2h mortos de cansados. Nosso amigo mora perto de uma estação de metro o que nos fez escapar da friaca e da ventania que estava fazendo no sábado. Eu não tenho boas lembranças de usar o transporte público sueco a noite. Não, nunca nada aconteceu conosco, mas é que são nesses momentos que encontramos figuras estranhíssimas com seus atos e feitos mais estranhos ainda.

Nesta noite em questão, estávamos esperando nosso metrô e uma mulher por volta dos seus 45-50 anos estava andando em nossa direção e olhando para dentro das lixeiras. Ela estava razoavelmente bem vestida, mas senti que ela cambaleava um pouco. Numa lixeira atras de nós ela encontrou o que queria: um lenço de papel. Ela não pensou duas vezes, usou e depois jogou no mesmo local. Blergh! Que nojo!! Me pergunto, o que a bebida (ou o excesso dela) não faz com as pessoas?!

Uma vez, voltando sozinha da casa de Paola por volta das 22hs, três jovens sentaram ao meu lado e comecaram a tirar fotos deles e minhas. Nada demais se o vagão não estivesse completamente vazio. Desceram duas estações depois de terem entrado. Se eles não descessem, eu o faria ou mudaria de vagão. Fiquei me perguntando porque “cargas d’água” sentaram logo ao meu lado. Será que queriam me intimidar ou era apenas loucura juvenil (de importunar as pessoas)?

Numa outra noite, tinham dois adolescentes andando de skate dentro do metro. Eles estavam empolgadíssimos fazendo altas manobras. E eu só pensando onde estariam as mães dessas figuras.

Uma outra vez, a mais bizarra de todas, um garoto entrou no metro, fez xixi dentro de um vagão, próximo de onde estávamos em pé, e saiu!!! 😯 O metro deu partida e o líquido começou a escorrer e quase atinge a bolsa de uma mulher que estava no chão.

Isso tudo sem contar dos “artistas” embriagados que teimam em dividir com os companheiros de viagem suas vozes magníficas e gritos desesperados, ou adolescentes que tentam queimar seus tenis e o dos colegas só para ver o que acontece.

E vocês, já passaram por situações contrangedoras e estranhas onde moram?

  • A palavra em sueco do dia é oväder [uvéder] , mal tempo, tempestade, ventania, temporal, tormenta

Nattknappen – “A tecla noturna”

Neste final de semana, a polícia de Estocolmo lançou um serviço que se chama “a tecla noturna” (tradução livre). Ele consiste em um plantão telefônico para o qual pessoas que estiverem se sentindo inseguras, ao por exemplo, voltar para casa após uma festa, possam ligar para conversar.

A idéia parece ótima! No entanto, poucas pessoas utilizaram o serviço no primeiro final de semana de funcionamento. O número do plantão de polícia “a tecla noturna” é 08 50 44 66 66 e ele ja está no meu telefone.

Todos que estiverem na rua entre as 22h e 3h30 da manhã durante o final de semana podem ligar. O serviço não é para ser usado quando você se sentir ameaçado, mas sim, quando sentir uma desagradável sensação de andar sozinho, no escuro e em lugar deserto. Quem estiver em situação de emergência ou se sentir ameaçado deve ligar para o 112.

Entre dois e três voluntários bem treinados, de um total de 30, ficam de plantão a cada final de semana. Os voluntários se encontram na central de polícia e estão prontos para alarmar a polícia em caso de, durante a conversa, acontecer algum tipo de violência com quem está ligando.

Segundo uma voluntaria do serviço, o objetivo do plantão é diminuir o sentimento de insegurança que muitos reconhecem ter e verificar se este metódo é efetivo.

O plantão “a tecla noturna” está em fase de teste e funcionará todas as noites de sexta para sábado e de sábado para domingo até 31 de janeiro, quando o serviço será avaliado. Em caso de avaliação positiva, se realmente existir interesse dos habitantes de Estocolmo, o serviço pode se tornar permanente.

Update: O plantão “a tecla noturna” tornou-se permanente desde o dia 27 de março para todos os moradores da região metropolitana de Estocolmo.

Quando li a matéria que fala deste plantão lembrei imediatamente do excelente post que Somnia escreveu sobre a primeira vez que ela sentiu medo na Suécia e de suas considerações sobre a violência.

Eu particularmente nunca senti medo na Suécia, mas confesso que dá um frio na barriga quando pessoas desconhecidas se aproximam do nada. Tento não dar bobeira e não deixar minha luz de atenção desligada, evito andar em locais que aparentemente são inseguros e, bom, quase nunca saímos a noite. Somos bem caseiros. :)

  • A palavra em sueco do dia é knapp(en) [knápp] , tecla

Cosmonova e exposições

Hoje estive no Cosmonova, um cinema que fica no Museu de História Natural da Suécia, ao lado da Universidade de Estocolmo. O Cosmonova é um cinema diferente. Nada de blockbusters ou filmes de época, muito menos de arte. Tudo o que é exibido alí tem algo a ver com animais e/ou natureza.

O diferencial do Cosmonova fica por conta da parte técnica. A cúpula (ou domo) do cinema tem 23 metros de diâmetro e foi construído de chapas de alumínio, formando uma superfície de 760 metros quadrados (clique na imagem para ampliar). O salão possui 262 lugares além de três reservados a visitantes em cadeiras de rodas.

As exibições começam sempre às 11h e terminam às 18h/19h. Cada filme tem duraçao média de 45 minutos. No programa que recebi, há quatro filmes em exibição que se repetem durante o dia. Hoje assisti a dois deles: Sea Monsters 3D e Dinossauros. Para quem não entende sueco, é possivel pegar emprestado fones que fazem a tradução simultânea para o inglês.

O primeiro deles foi projetado através do sistema digital 3D do Cosmonova, o que significa que usei aqueles óculos ridículos :roll: os quais, segundo o que tava escrito na tela antes de tudo começar, bloqueiam toda luz e faz com que as imagens sejam vistas por cada olho por vez.

A projeçao do Sea Monsters 3D foi feita em uma janela no domo (como mostra a foto ao lado). Eu gostei e me assustei bastante. Estranho se sentir parte do filme e ainda continuar sentado.

Mas foi no segundo filme que senti a grandiosidade do cinema. Você fica o tempo todo olhando para todos os lados, inclusive para cima, pois a projeção do filme ocupa uma imensa superfície. A projeção IMAX usa o maior formato de filme que existe, 10 vezes maior que os 35mm de um cinema comum. A diversão é garantida.

Entre um filme e outro aproveitei e dei uma passada nas exibições do museu. A que mais me impressionou chama-se Den Mänskliga resan (The Human Journey) na qual é possível ver a evolução humana em vários aspectos. Um deles foi a reprodução de algumas espécies até a chegada do Homo sapiens. A perfeição com as quais foram produzidas e os detalhes das pesquisa são impressionantes.

Naturhistoriska RiksmuseetNaturhistoriska Riksmuseet

Naturhistoriska Riksmuseet Naturhistoriska Riksmuseet Naturhistoriska Riksmuseet Naturhistoriska Riksmuseet

Uma outra coisa legal foi a interatividade. Nada de exposições com teias de aranhas. Muito pelo contrario. Diante de cada parte do percurso, uma tela sensivel ao toque te dava informações extras e até mesmo propunha jogos. Eu fiquei brincando numa das telas tentando descobrir quais pegadas pertenciam a 9 bichos diferentes. 😛 Naturhistoriska Riksmuseet

Uma outra exposição, esta disponível apenas até 31 de agosto, chama-se Jordens berg (Montanhas do mundo, em tradução livre). Em em inglês, chama-se Spetacular Mountain Landscapes e mostra imagens feitas pelo fotografo de natureza (é assim mesmo que se chama?) sueco Claes Grundsten. Fiquei apaixonada por várias lindas imagens de montanhas do mundo inteiro. Uma delas é esta aí ao lado, tirada em Tarfala, nos fiordes suecos. O mais lindo da imagem é o céu que de tão azul reflete na neve deixando uma linda paisagem azulada.

  • A palavra em sueco do dia é utställning [utstéling], exposição

Ausência justificada

Depois de um ano sem ver minha mãezinha, ela chegou. Desde a última quinta estou curtindo o colo da minha mãe!! É o motivo da minha ausência. Temos muito o que conversar. Hoje, começa a maratona por Estocolmo. Se as previsões estiverem certas, o dia de hoje será ensolarado, o que significa um lindo dia de passeio na cidade.

Pena que a grande maioria dos passeios de barco pela cidade só começam em abril. Gostaria de levá-a a um em especial, mas infelizmente não dá. :( Mas nada está perdido. Agora vou lá antes que o sol desapareça.

  • O verbo em sueco do dia é promenad [promenad], passeio

Arte brasileira em Estocolmo

Para quem gosta de arte brasileira uma boa opção é conferir a exposição Rio de Janeiro 1956-1964, que abre as portas amanhã, no Moderna Museet em Estocolmo. A exposição é a primeira da série Tid & Plats (Tempo e Local) concebida para comemorar os 50 anos do museu em 2008.

Obras de Roberto Burle Max (foto), Hélio Oiticica, Lygia Clark, Almicar de Castro, entre outros, fazem parte da exposição que pretende apresentar o concretismo brasileiro para os amantes da arte moderna. Visitas guiadas (link em ingles), apenas em sueco, estarão disponíveis em datas especiais. A entrada custa 80 coroas suecas (em torno de R$ 22,00) ou 60 coroas entrada reduzida (desempregados, grupos a partir de 15 pessoas, estudantes com carteira, aos que são sujeitos ao serviço militar, aposentados)

Infelizmente todos museus de Estocolmo, a partir de janeiro de 2007, voltaram a cobrar por entrada. Alguns já haviam começado a cobrar mesmo em 2006. Outros nunca foram gratuitos. No entanto, os museus públicos, depois da nova medida, perderam cerca de 1,5 milhões de visitantes. Os mais prejudicados foram o Naturhistoriska Museet (Museu de Historia Natural) e o Moderna Museet (Museu de Arte Moderna), cujo número chega a 700 mil de visitas a menos que em 2006.

  • A palavra em sueco do dia é besokare [bessókare], visitante (s)

Estocolmo em números

Há um tempo escrevi aqui algumas curiosidades sobre Estocolmo e Suécia que havia descoberto em vários sites e reuní tudo o que consegui num só post. Pois bem, achei que já estava na hora de dar mais dados sobre a cidade e mexendo um pouco lá e acolá encontrei várias coisas bem legais com informações bem pontuais. Enfim, vamos lá…

  • Estocolmo é a capital da Suécia e assim como Copenhague, na Dinamarca, são consideradas as maiores capitais da Escandinávia (Suécia, Noruega e Dinamarca) e também entre os Países Nordicos (Escandinávia + Islândia, Finlândia e os territórios associados Åland, Grönland e Färörna).
  • Estocolmo foi fundada na metade do século XIII (por volta do ano de 1250)
  • As mais antigas construções datam do início do século 13: Storkyrkan (A grande igreja) e Riddarholmskyrkan (A igreja de Riddarholm)
  • As mais altas contruções : Kista Science Tower (158m), Kaknästornet (155m), Klara Kyrka (116m) e Stadshuset (a prefeitura – 106m). A mais alta construção do país tem 190 metros de altura, chama-se Turning Torso e está localizada em Malmö. Existe um projeto em se construir um prédio para moradia de 200 metros em Estocolmo (Telefonplan).
  • O prédio da prefeitura (Stadshuset – foto) foi inaugurado no dia do midsommar em 1923 após 12 anos de construção. Possui em sua fachada cerca de oito milhões de ladrilhos/tijolos aparentes. Por detrás desses muros existem escritórios, salas para reuniões e para festas. Trabalham no prédio em torno de 200 pessoas, entre eles políticos e homens/mulheres de negócio. É no Blå Hallen (salão azul) que acontece o famoso banquete do prêmio Nobel, 10 de dezembro.
  • Desde janeiro deste ano a cidade passou a ser dividida em catorze partes (em vez de 18) as quais são responsáveis por diversos serviços para a comunidade tais como questões locais sobre meio ambiente, serviços sociais, cuidados geriátricos, limpeza de vias públicas, entre outros. A cidade decide sobre a divisão da verba entre as partes e estas aplicam onde acharem necessário.
  • A cidade possui 28 paróquias (Aqui filhos de pais filiados a igreja sueca são automaticamente membros. Uma porcentagem do salário já é descontada no contra-cheque e te da direito a casar, batizar, entre outras coisas, o velório e o funeral)
  • Estocolmo é cidade-irmã de Tallin, na Estônia (o conceito de cidades-irmãs foi criado na década de 50 com intuito de apaziguar rancores após conflitos que atingiram a Europa além de facilitar relações internacionais, sobretudo, relações sócio-culturais)
  • Parques e áreas verdes: Cerca de 40% da cidade de Estocolmo é constituída por regiões verdes e belos parques (38 no total). Os 60% restantes são divididos quase que igualmente entre água e locais destinados para habitação.
  • Existem 52 clubes de golf em Estocolmo (agora posso entender a fixação do namorado de Ana pelo esporte)
  • A cidade possui em torno de 100 galerias de arte e 70 museus
  • Ekoparken (O parque ecológico – foto) é o nome do Parque Nacional de Estocolmo. A cidade se orgulha por possuir o primeiro parque nacional do mundo a ser pertencido pelo Estado.

.

  • Estocolmo está a altura do seu nome. A cidade é construída sobre 14 ilhas ligadas por 57 pontes (O nome Stockholm é formado da junção de duas palavras. Stock que significa tronco de madeira e Holme que significa pequena ilha. Supõe-se que o nome vem de um dispositivo de defesa construído de estacas de madeira que existia entre o Mälaren (nome do rio) e o Saltsjön (nome do lago))
  • O arquipélago de Estocolmo tem cerca de 24 mil ilhas e ilhotes.
  • A cidade de Estocolmo possui 188 km2, o que significa 2,9% de toda a região metropolitana
  • É a cidade que possui a maior população do país: 782 885 mil habitantes (dados de 2006). Se contarmos com os subúrbios esse número cresce e atinge a marca de 1 252 020 moradores. Já região metropolitana conta com 1 761 125 pessoas
  • O dia mais longo na cidade tem duração aproximada de 20 horas e 37 minutos. Em contrapartida, o mais curto é de 6solen.jpg horas e 4 minutos. Vocês podem verificar no almanaque 2007 do Instituto de Meteorologia e Hidrologia da Suécia (SMHI)
  • A mais alta temperatura já registrada em Estocolmo, a partir de 1901, foi de 35,4 graus (isso para cá já é um inferno de quente), dia 6 de agosto de 1975. Mas em 1811, o mercúrio chegou a 36 graus. Por outro lado, a mais baixa é de -28,2 graus, dia 25 de janeiro de 1942.
  • Segundo a Central de Estatísticas sueca, um estocolmense (?) médio ganhou em 2006 em torno de 27 700 SEK/mês (em torno de R$ 7 660,00) e tem 1,36 crianças na familia. A diferença entre os sexos é grande. Enquanto um homem ganha em média 33 700 SEK/mês (independe da profissão – é só uma média), uma mulher ganha 26 100 SEK/mês. Aqui vocês podem fazer o cruzamento das informações para saber sobre anos anteriores
  • O diretor Ingmar Bergman nasceu em Uppsala, região metropolitana de Estocolmo. Greta Garbo nasceu e está enterrada no Skogskyrkogården (O cemitério da floresta), na capital. A cidade disponibiliza aqui um formulário para aqueles que querem saber quem está enterrado em um dos 11 cemitérios de Estocolmo e a quem pertence o túmulo. Muitos dos turistas que visitam a Suécia querem saber onde artistas e pessoas importantes do país estao enterrados. Bergman está enterrado na ilha de Färå, onde viveu até seus últimos dias.
  • Distâncias:

Estocolmo -Malmö (sul) – 591 km

Estocolmo -Göteborg (oeste) – 477 km

Estocolmo – Kiruna (norte) – 1240 km

  • Linhas de ferry: É possivel ir de barco a cidades como Tallin, Helsingfors, Mariehamn, Åbo, Riga, Gdansk, San Petersburgo e Visby
  • A cidade possui dois aeroportos: o Internacional Arlanda e o de Bromma
  • Transporte: SL (Stockholms lokaltrafik) é o responsável pelo transporte local (ônibus, metro) e SJ (Statens järnvägar) pelo intermunicipal/estadual (linhas de ferro).
  • Principais vias: Sveavägen (centro) e as auto-estradas E4, E20 e E18
  • A palavra em sueco do dia é siffror [síffror], números