Round trip pela Europa – parte 2

E a viagem continua…

Ystad – Swinoujscie

Duração: cerca de 7 horas

Antes de decidirmos ir por Ystad, analisamos se não seria melhor sair de Nynäshamn, próximo a Estocolmo, e aportar em Gdansky. A demora da decisão nos fez perder a promoção o que automaticamente nos fez desistir desta opção, pois o preço regular é bastante salgado. Saiu mais em conta dirigir até o sul da Suécia. Para quem vai sem carro, a opção Nynäshamn-Gdansky é bem boa.

O navio – Não tinha muito o que fazer. Na verdade anunciaram duas sessões de um filme que estaria passando no cinema. Fomos dar uma conferida e vimos que se tratava de um desenho animado dublado em polonês. 😕 Poderia ter sido até divertido se a sala não estivesse abarrotada de gente. Demos uma volta para ver se tinha algo interessante, mas estávamos tão cansados que decidimos relaxar.

A cabine – Duas camas, uma salinha com mesa, duas poltronas e um pequeno sofa, frigobar, TV, guarda roupa, cofre e um banheiro capaz de comportar dois seres humanos adultos! 😛

A TV é uma piada a parte. Os canais, todos em polonês. Algum filme passando?? Ahh legal, vamos ver, eu estou ouvindo o inglês, dá para acompanhar… Não se anime muito. Uma única pessoa dubla todos (eu disse todos) os personagens do filme. Mesmo se entendesse polonês seria dificil acompanhar uma discussao num filme onde apenas uma pessoa dubla. Hilário…assistimos um pouco só para distrair, depois só acordamos no destino.

Swinoujscie

Não dá para falar muito da cidade pois não ficamos muito tempo por lá. Segundo meu viking, a cidade é frequentada por muitos turistas que alí chegam para tratamento (ou apenas descanso) em SPAs. Chegamos às 20h fizemos o check-in e fomos procurar um lugar para jantar.

Ficamos perto da praia e por isso uma movimentação grande. Muita gente se acumulava na praça que havia música, apresentações de rua, restaurantes cheios, muitos suecos e muitos churrasquinhos sendo vendidos. Nos aproximamos de um na esperança de achar algo para comer. Decepção! Não tive coragem de comer os pedaços de porco que ali “pegavam um bronze”. Pé, língua e outras partes que ate agora não sei o que eram.

Não quisemos arriscar e fomos procurar uma pizzaria. Na cidade, só encontramos a recepcionista do hotel que falava um inglês razoável e uma garota da pizzaria (não a garçonete, acho que ela lavava pratos, já que veio nos atender bastante molhada).

Não nos sentimos bem acolhidos na cidade, isso é a verdade. Mas não desanimamos!

O hotel no qual dormimos foi bem legalzinho. O quarto bem arrumado e a cama aconchegante. O café da manha, apesar bem servido (no sentido de quantidade), não nos agradou muito. Além disso, o hotel estava em reforma. Uma pena! :(

Costumamos fazer nossas reservas pelo booking.com e sempre temos saído dos locais satisfeitos. Vide nossa passagem por Bremen, na semana santa.

No outro dia de manha, saímos cedo para dar uma volta rápida pela cidade antes de irmos para Berlim. A cidade está a pleno vapor de novas construções e o aparecimento de novas áreas muda bastante o visual do local. Gostei de umas ruas bem fofas (aliás, só dirigimos em ruas com paralelepípedos em Swinoujscie!) perto da fronteira com a Alemanha (você só se dá conta que passou de um país para o outro quando vê a placa estrelada da UE) bem arborizadas e com alguns vendedores nas calçadas que apresentavam seu melhor produto: legumes da época.

Um adendo: Apesar de o país ter entrado na União Européia em 2004, a moeda utilizada ainda é o “zloti” (PLN) que equivale no câmbio de hoje:

1 PLN = 0,31€ =R$0,74 =2,87 SEK

  • A palavra em sueco do dia é valuta [valuta], câmbio, moeda (do país)

Round trip pela Europa – parte 1

Trajeto entre Estocolmo e Sainte Agnès (clique na foto para ampliar)

Trajeto entre Estocolmo e Sainte Agnès (clique na foto para ampliar)

Vamos lá! Já estava na hora de começar a escrever sobre nossa aventura de carro entre Estocolmo (Suécia) e Sainte Agnès (França).

Percurso: 2490 km

Países percorridos durante o trajeto: Suécia, Polônia, Alemanha, República Tcheca, Austria, Itália e França

Duração de toda a viagem: 3 semanas

A foto ao lado é uma montagem que fiz pois não foi possivel marcar todos os pontos da viagem de uma só vez por causa do mar. O trajeto entre Ystad (S) e Swinoujscie (Pl) foi feito de navio.

Trajeto detalhado aqui.

1º dia – 070708

Estocolmo – Ystad

Percurso: 631km

Duração: + ou – 6 horas

Começamos a viagem dia 7 de julho, às 06h00, numa temperatura de 10 graus, neblina e ameaça de chuva. Nada muito animador.

Já na metade do caminho um pequeno imprevisto: fomos obrigados a parar por alguns minutos pois uma tempestade havia nos alcançado. Impossível de ver um palmo diante do nariz.

Estocolmo-Ystad

Estocolmo-Ystad

O navio que iríamos pegar rumo à Polônia partiria às 12h30 de Ystad e a previsão do GPS era que chegaríamos bem antes do previsto. Como aprendemos bem durante a viagem de páscoa, não damos muita bola para pequena máquina e calculamos que conseguiriamos chegar antes do previsto, ao menos 30 minutos antes do embarque deveríamos estar lá.

Escolhemos não ir por autoestrada, para fazer um caminho mais curto, diferente e com outras paisagens. O GPS nos levou por um lugar que caso eu não estivesse com o mapa na mão perderíamos toda a viagem. Decidimos, então, conferir a cada indicação da máquina louca se as informações correspondiam com a realidade do mapa.

Sem muitos problemas, chegamos à Ystad ainda com tempo e entramos direto na fila dos carros. Esta seria minha primeira vez viajando de carro num navio. Achei interessante como tudo é organizado.

Ystad - Suécia (a caminho da Polônia) Polferries

Com os três bilhetes na mão (viking + Ju + carro), entramos no barco e fomos imediatamente procurar nossa cabine. Eu já estava preocupada em passar cerca de 7 horas me sentindo uma sardinha (minha primeira experiência com cabine de navio quando fomos para Riga (Letonia), dezembro passado, não foi das melhores) e sentindo enjôos.

Para minha surpresa, meu viking havia pago menos de 30 reais a mais para nossos bilhetes para trocar de cabine. Resultado: mudamos da simples para de luxo, com direito a consumir tudo o que o frigobar nos oferecia. 😀 Eu não sabia de nada!! Ao entrar e me deparar com todo aquele espaço comecei a pular, correr e dançar…hahaha :roll: (As fotos da cabine entrarão assim que conseguirmos recuperar tudo o que está no computador com carregador queimado :( )

No entanto, eu só pensava em três coisas: comer, dormir e banho. (não necessariamente nesta ordem)

O trajeto detalhado Estocolmo-Ystad pode ser encontrado aqui.

  • A palavra em sueco do dia é hytt [rrit], cabine