Quanta ladeira, Olinda quanta ladeira*

Li no jornal que as temperaturas para a estação estão extremamente abaixo do normal. O site do instituto de metorologia do país informa que durante cinco dias choveu mais do que o normal para o mês de junho! 😮 

Depois de uma semana de chuva, na qual 3 dias foram de quedas d’água initerruptas, o sol resolveu aparecer. Mas, segundo a previsão, devemos aproveitar pois hoje é o último dia de sol da semana. Eu não fiquei atrás e ontem mesmo fui pedalar mas não sabia que essa aventura me custaria caro.

Back in time:

Eu raramente fico gripada. Tenho uma forte teoria que ao tomar suco de laranja todos os dias no café da manhã funciona como a melhor receita para não ficar gripada. E comigo funciona mesmo! 

Este final de semana, como falei, foi embaixo d’água. Saímos de casa na sexta para ir buscar minha carta registrada (aqui na Suécia não existem postos de correio – só as grandes centrais. Para receber pacotes ou cartas registradas é preciso ir a um quiosque ou lojinha, como queiram, do Pressbyrån) e no domingo para a reunião do BrasilCine e para o jantar na casa do sogro.

Além da chuva, estava ventando muuuito. Resultado, amanheci na segunda feira com uma inflamação na garganta absurda. Há tempos minha garganta não inflamava. O problema é que para mim, se a garganta inflama, é batata. Vou ficar doente, leia-se gripada.

Back to the future:

Na terça, o sol reapareceu lindamente e bem convidativo, diga-se de passagem. Eu não estava 100%, mas mesmo assim, peguei a bike para encontrar minha cunhada e a família dela na stuga. 18 km ida e volta. Bom, olhando assim não parece muito, mas o problema é que eu havia esquecido que o trajeto é recheado de looongas subidas e algumas descidas (Stockholm é construída em cima de montanhas rochosas).

 KoloniomrÃ¥de Utsiktsvägen Pausa ciclistas_Västerbron Ju_Västerbron Stockholm_Västerbron 

O esforço foi tão grande em alguns momentos que eu precisava parar para respirar e comer algumas uvas-passas! 😛 Cheguei la exausta. Fiz o trajeto de ida em 45 min. O de volta levou mais tempo pois parei em um parque para comer uma maçã e em cima de uma ponte para bater fotos! 😉 Cheguei em casa mortinha-viva. E a noite, hoho, meu estado havia piorado consideravelmente.

Uma tosse de cachorro, mal estar e a sensação de estar respirando catarro!! Blergh!!! 

* Quanta Ladeira é um grupo formado por Lenine, Zé da Flauta, Lula Queiroga, Silvério Pessoa e convidados que religiosamente se apresentam no carnaval de Olinda/Recife.

Fotos: 1 e 2 – De partida da área onde fica a stuga (koloniområde), na ilha de Södermalm. 3. Parque Tantolunden, Södermalm. 4, 5 e 6 – Sobre a ponte Västerbron (ponte do oeste).

Todos os links das legendas vão abrir em páginas com mapas de localização.

  • As palavra do dia é slem, [slêm], catarro, mucosa

 

Reblog this post [with Zemanta]

Solstício de inverno e suas tradições

Dia 21 de dezembro é quando acontece o solstício de inverno, ou o dia mais curto do ano, no hemisfério norte. A partir do dia 22, começamos a ganhar minutos diários de luz.

Hoje, o DN publicou uma matéria mostrando que você pode medir o ângulo do sol dependendo de onde na cidade você se encotrar quando o sol nascer. Em um gráfico gigante  (clique na foto abaixo para vê-la ampliada) eles mostram o ângulo do sol em várias partes da cidade; explicam quando o dia é mais longo, curto e quanto o dia e a noite possuem a mesma quantidade de horas;  qual o ângulo da Suécia de acordo com o eixo da terra e te ensinam a descobrir o ângulo exato que o sol terá a partir do local onde você estiver com ajuda de uma pequena régua.

Segundo o gráfico, em Estocolmo, no dia 21 de dezembro, temos apenas 6 horas 05 minutos de luz solar por dia, enquanto que na data em que o dia é o mais longo do ano, a luz do sol ilunina a cidade durante 18 horas e 38 minutos.

Este mesmo gráfico mostra que em março e em setembro temos os chamados Vårdagjämninig e Höstdagjämning, respectivamente dias iguais durante a primavera e outono, 12 horas e 14 minutos.

Motivo de festa

A pequena reportagem que segue o gráfico  é iniciada com a constatação de que até dia 21 de dezembro de 2008, a luz do sol invernal só iluminou Estocolmo durante 7h (contra 33 h que seria normal para todo o mês de dezembro), ou seja, está sendo um mês bastante cinza ou escuro.

(Infelizmente a reportagem nao foi publicada na versão online, por isso não tenho como direcionar à fonte.)

sols_dn

Reprodução do gráfico do jornal

Nela, consta que perto do ano 1000, o dia do solstício de inverno era comemorado com festa, cerimônia e orgias. Reproduzo abaixo a interessante reportagem:

A antiga crença popular diz que o dia do solstício de inverno era considerado uma noite perigosa onde os animais podiam falar além de forças sobrenaturais vagarem livremente.

Na Escandinávia antes do cristianismo, o meio do inverno (midvintern) era associado a festas religiosas de sacrifícios humanos e animais (chamado de midvinterblot). Os sacrifícios animais serviam para acalmar os deuses os quais permitiriam que o sol retornasse. Na verdade, existia um medo que a luz nunca mais retornasse caso o solstício de inverno não fosse comemorado desta forma.

Algo deveria ser sacrificado este ano para que os moradores de Estocolmo pudessem vislumbrar um pouco de sol antes da virada do ano. Segundo o meteorologista Thomas Carlund, på SMHI [Sistema de meteorologia e hidrologia da Suécia], o sol só iluminou a capital durante 7 horas em dezembro. [existe uma diferença fundamental entre horas de sol e horas de luz]. Durante os meses de Outubro-Novembro houve 111 e 61 horas de sol (em vez de 99h e 54h) respectivamente.

Os vikings tinham como costume fazer três grandes festas religiosas de sacrifícios durante o ano (höstblot, vårblot e a maior de todas midvinterblot, respectivamente festa de sacrifício do outono, primavera e a do solstício de inverno) onde, entre outras coisas, acontecia uma grande ingestão de cerveja e um tipo de licor alcoolico de mel fermentado e água (mjöd em sueco e mead, em inglês).

Uma outra antiga tradição era queimar um tronco bem decorado durante a noite mais longa do ano. As cinzas eram guardadas para serem espalhadas no campo para que as plantas tenham um bom crescimento.

Amanha, dia 21 de dezembro, será inaugurado na Dinamarca um cemitério exclusivo para todos aqueles que acreditam nos deuses vikings (asatroende). A cidade de Odense está investindo 150 mil coroas no projeto além de construir um barco no modelo da época viking de pedra no meio da cidade. Por tras do projeto está comunidade religiosa Forn Sidr a qual possui 600 membros crentes nos deuses vikings (asatroende).

No solstício de inverno o terreno será “batizado” e apenas dia 7 de fevereiro é que será oficialmente inaugurado. Provavelmente levará um tempo para que o primeiro enterro aconteça já que a maioria dos membros da comunidade asa ainda são ainda jovens. As sepulturas são auto-financiadas e custam 8 500 coroas dinamarquesas [aproximadamente R$ 3 800] para a conservação de 10 anos.

Na Internet, se proliferam vários mitos e tradições relacionados com o dia mais escuro do ano. Dentre elas, um site internacional estimula mais amor neste dia. Isto não é nenhuma idéia idiota

Per Luthander – DN jornalista”

  • A palavra em sueco do dia é vintersolståndet , solstício de inverno

ABBA the museum adiado

Lembram que escrevi sobre o Abba – The Museum ? Que este abriria suas portas em junho de 2009? Pois é. Ainda não sera desta vez que fãs do quarteto sueco poderão visitar as instalações do museu, conferir todo material do grupo e curtir toda a atmosfera criada em torno deles.

Isto porque, segundo explicações dos empresários, a reforma do local onde o museu seria localizado ficou inviável. A casa possui mais de 100 anos e alguns sérios problemas, o que inviabiliza a construção do museu. O responsável pelo projeto, Ulf Westman, confessa que não haverá museu do ABBA nem na Tullhuset (clique na foto para ampliar) nem em algum outro lugar em 2009.

Desde o anúncio da abertura do ABBA – The Museum podía-se comprar ingressos para o dia da abertura. Segundo o DN, 3 mil ingressos já foram vendidos. Os responsáveis pelo projeto já anunciaram que não há problemas em devolver o dinheiro. No entanto, aqueles que quiserem continuar com o bilhete em mãos terão a garantia de estarem presentes quando uma nova data de inauguração for estipulada.

Link para o museu do ABBA – ABBA – The Museum

Aqui está o anúncio oficial (em ingles) do adiamento

  • A palavra em sueco do dia é skjuta upp [xuta upp], adiar, remarcar (a data de algo)

080808 em Stockholm e na China

Não é só na China que a data 080808 é especial. Em Estocolmo, a data de 8 de agosto de 2008 simbolizaa cidade. Explico. O código de área da Região Metropolitana de Estocolmo é 08 e muitos suecos de outras regiões do país nomeiam, ou identificam, os estocolmenses de nollåtta (nólóta), ou seja, 08.

Lembro que na passagem de ano, eles já estavam anunciando a festa, que será realizada na próxima sexta, e celebrando o ano novo de Estocolmo (achei bem brega por sinal!).

Bom, mas voltando aos símbolos. Se na China a data 0808 representa, segundo a tradição, um dia feliz, de realizaçoes (não é a toa que a abertura dos Jogos Olímpicos foi escolhida para esta data, especificamente as 20h08), na Suécia, ou mais especificamente em Estocolmo, não tem nenhum siginificado tradicional. É sim, e também, sinônimo de festa.

Um dado interessante: Espera-se um número bombástico de casamentos tanto na China quanto em Estocolmo (sei que não da para comparar um país com uma cidade, mas achei curioso trazer algumas informações referentes às datas nesses dois locais).

Algumas curiosidades e informações sobre ambas as festas:

China

  • Chineses apreciam o número 8 (pronuncia-se ba) pois se assemelha a fa o que significa tornar-se rico (Por outro lado, os chineses não gostam do número 4, pois foneticamente assemelha-se a palavra morte – esta informação ouvi semana passada num documentario sobre a China);
  • A abertura oficial dos Jogos Olímpicos vai ocorrer dia 080808 às 20h08m08s (horario Chines);
  • Em 8 de agosto de 2007, 3390 casais (portanto, 6780 pessoas) casaram em Pequim. Eles tiveram que esperar na fila uma noite inteira em frente ao bureau de casamentos. Este ano, espera-se que este número aumente consideravelmente;
  • Alguns restaurantes prepararam bufes especiais de casamento para a data comemorativa. O preço? 2008 yuan (cerca de R$460,00);

Estocolmo

  • O festival se chama Go 08 – Stockholmarnas egen fest (Vamos 08 – A festa dos estocolmenses) e convida várias atrações gratuitas ao longo do dia (além de outras pagas que custarão no máximo 8 coroas).
  • Várias estações de metro na cidade vão distribuir o 08-kringlan durante o dia;
  • O Globen convida todos às 08h08 para um café da manhã (gratuito) seguido de um tour guiado (também gratuito – 09h às 12h) pelo local. Aqueles que se arriscarem a cantar podem levar para casa ingressos para o musical Mamma Mia!
  • Às 22h30, durante oito minutos e oito segundos, fogos vão iluminar o céu da cidade. Os melhores pontos aconselhados para ver a festa são: Fjällgatan, Slussen e Stadsgården, Skeppsholmen, Kastell-holmen, Beckholmen, Skansberget e Solliden, Skeppsbron, Södra Blasieholmen e Strömkajen assim como Karl XII:s torg.
  • Entre outras atrações…

Aqui vocês poderão encontrar informações sobre a programação.

Um dado curioso também sobre a data é que, assim como a China, a cidade espera um número recordes de casamento. A Seglora Kyrka (A igreja Seglora), de quase 300 anos, localizada no museu ao ar livre com antigas construções suecas, Skansen, está com a agenda lotada para 080808 desde janeiro. Outras igrejas da cidade também estão na mesma situação.

Os meses mais populares para casamentos em Estocolmo são maio e agosto. Quem estiver interessado em casar nos famosos meses, precisa se antecipar com no mínimo de 6 meses.

  • A palavra em sueco do dia é vigsel [vikssel], casamento

Arte brasileira em Estocolmo

Para quem gosta de arte brasileira uma boa opção é conferir a exposição Rio de Janeiro 1956-1964, que abre as portas amanhã, no Moderna Museet em Estocolmo. A exposição é a primeira da série Tid & Plats (Tempo e Local) concebida para comemorar os 50 anos do museu em 2008.

Obras de Roberto Burle Max (foto), Hélio Oiticica, Lygia Clark, Almicar de Castro, entre outros, fazem parte da exposição que pretende apresentar o concretismo brasileiro para os amantes da arte moderna. Visitas guiadas (link em ingles), apenas em sueco, estarão disponíveis em datas especiais. A entrada custa 80 coroas suecas (em torno de R$ 22,00) ou 60 coroas entrada reduzida (desempregados, grupos a partir de 15 pessoas, estudantes com carteira, aos que são sujeitos ao serviço militar, aposentados)

Infelizmente todos museus de Estocolmo, a partir de janeiro de 2007, voltaram a cobrar por entrada. Alguns já haviam começado a cobrar mesmo em 2006. Outros nunca foram gratuitos. No entanto, os museus públicos, depois da nova medida, perderam cerca de 1,5 milhões de visitantes. Os mais prejudicados foram o Naturhistoriska Museet (Museu de Historia Natural) e o Moderna Museet (Museu de Arte Moderna), cujo número chega a 700 mil de visitas a menos que em 2006.

  • A palavra em sueco do dia é besokare [bessókare], visitante (s)

Estocolmo em números

Há um tempo escrevi aqui algumas curiosidades sobre Estocolmo e Suécia que havia descoberto em vários sites e reuní tudo o que consegui num só post. Pois bem, achei que já estava na hora de dar mais dados sobre a cidade e mexendo um pouco lá e acolá encontrei várias coisas bem legais com informações bem pontuais. Enfim, vamos lá…

  • Estocolmo é a capital da Suécia e assim como Copenhague, na Dinamarca, são consideradas as maiores capitais da Escandinávia (Suécia, Noruega e Dinamarca) e também entre os Países Nordicos (Escandinávia + Islândia, Finlândia e os territórios associados Åland, Grönland e Färörna).
  • Estocolmo foi fundada na metade do século XIII (por volta do ano de 1250)
  • As mais antigas construções datam do início do século 13: Storkyrkan (A grande igreja) e Riddarholmskyrkan (A igreja de Riddarholm)
  • As mais altas contruções : Kista Science Tower (158m), Kaknästornet (155m), Klara Kyrka (116m) e Stadshuset (a prefeitura – 106m). A mais alta construção do país tem 190 metros de altura, chama-se Turning Torso e está localizada em Malmö. Existe um projeto em se construir um prédio para moradia de 200 metros em Estocolmo (Telefonplan).
  • O prédio da prefeitura (Stadshuset – foto) foi inaugurado no dia do midsommar em 1923 após 12 anos de construção. Possui em sua fachada cerca de oito milhões de ladrilhos/tijolos aparentes. Por detrás desses muros existem escritórios, salas para reuniões e para festas. Trabalham no prédio em torno de 200 pessoas, entre eles políticos e homens/mulheres de negócio. É no Blå Hallen (salão azul) que acontece o famoso banquete do prêmio Nobel, 10 de dezembro.
  • Desde janeiro deste ano a cidade passou a ser dividida em catorze partes (em vez de 18) as quais são responsáveis por diversos serviços para a comunidade tais como questões locais sobre meio ambiente, serviços sociais, cuidados geriátricos, limpeza de vias públicas, entre outros. A cidade decide sobre a divisão da verba entre as partes e estas aplicam onde acharem necessário.
  • A cidade possui 28 paróquias (Aqui filhos de pais filiados a igreja sueca são automaticamente membros. Uma porcentagem do salário já é descontada no contra-cheque e te da direito a casar, batizar, entre outras coisas, o velório e o funeral)
  • Estocolmo é cidade-irmã de Tallin, na Estônia (o conceito de cidades-irmãs foi criado na década de 50 com intuito de apaziguar rancores após conflitos que atingiram a Europa além de facilitar relações internacionais, sobretudo, relações sócio-culturais)
  • Parques e áreas verdes: Cerca de 40% da cidade de Estocolmo é constituída por regiões verdes e belos parques (38 no total). Os 60% restantes são divididos quase que igualmente entre água e locais destinados para habitação.
  • Existem 52 clubes de golf em Estocolmo (agora posso entender a fixação do namorado de Ana pelo esporte)
  • A cidade possui em torno de 100 galerias de arte e 70 museus
  • Ekoparken (O parque ecológico – foto) é o nome do Parque Nacional de Estocolmo. A cidade se orgulha por possuir o primeiro parque nacional do mundo a ser pertencido pelo Estado.

.

  • Estocolmo está a altura do seu nome. A cidade é construída sobre 14 ilhas ligadas por 57 pontes (O nome Stockholm é formado da junção de duas palavras. Stock que significa tronco de madeira e Holme que significa pequena ilha. Supõe-se que o nome vem de um dispositivo de defesa construído de estacas de madeira que existia entre o Mälaren (nome do rio) e o Saltsjön (nome do lago))
  • O arquipélago de Estocolmo tem cerca de 24 mil ilhas e ilhotes.
  • A cidade de Estocolmo possui 188 km2, o que significa 2,9% de toda a região metropolitana
  • É a cidade que possui a maior população do país: 782 885 mil habitantes (dados de 2006). Se contarmos com os subúrbios esse número cresce e atinge a marca de 1 252 020 moradores. Já região metropolitana conta com 1 761 125 pessoas
  • O dia mais longo na cidade tem duração aproximada de 20 horas e 37 minutos. Em contrapartida, o mais curto é de 6solen.jpg horas e 4 minutos. Vocês podem verificar no almanaque 2007 do Instituto de Meteorologia e Hidrologia da Suécia (SMHI)
  • A mais alta temperatura já registrada em Estocolmo, a partir de 1901, foi de 35,4 graus (isso para cá já é um inferno de quente), dia 6 de agosto de 1975. Mas em 1811, o mercúrio chegou a 36 graus. Por outro lado, a mais baixa é de -28,2 graus, dia 25 de janeiro de 1942.
  • Segundo a Central de Estatísticas sueca, um estocolmense (?) médio ganhou em 2006 em torno de 27 700 SEK/mês (em torno de R$ 7 660,00) e tem 1,36 crianças na familia. A diferença entre os sexos é grande. Enquanto um homem ganha em média 33 700 SEK/mês (independe da profissão – é só uma média), uma mulher ganha 26 100 SEK/mês. Aqui vocês podem fazer o cruzamento das informações para saber sobre anos anteriores
  • O diretor Ingmar Bergman nasceu em Uppsala, região metropolitana de Estocolmo. Greta Garbo nasceu e está enterrada no Skogskyrkogården (O cemitério da floresta), na capital. A cidade disponibiliza aqui um formulário para aqueles que querem saber quem está enterrado em um dos 11 cemitérios de Estocolmo e a quem pertence o túmulo. Muitos dos turistas que visitam a Suécia querem saber onde artistas e pessoas importantes do país estao enterrados. Bergman está enterrado na ilha de Färå, onde viveu até seus últimos dias.
  • Distâncias:

Estocolmo -Malmö (sul) – 591 km

Estocolmo -Göteborg (oeste) – 477 km

Estocolmo – Kiruna (norte) – 1240 km

  • Linhas de ferry: É possivel ir de barco a cidades como Tallin, Helsingfors, Mariehamn, Åbo, Riga, Gdansk, San Petersburgo e Visby
  • A cidade possui dois aeroportos: o Internacional Arlanda e o de Bromma
  • Transporte: SL (Stockholms lokaltrafik) é o responsável pelo transporte local (ônibus, metro) e SJ (Statens järnvägar) pelo intermunicipal/estadual (linhas de ferro).
  • Principais vias: Sveavägen (centro) e as auto-estradas E4, E20 e E18
  • A palavra em sueco do dia é siffror [síffror], números

ABBA the museum

ABBA the museum (reprodução gráfico do DN) Está previsto para o verão de 2009, mais precisamente para o dia 3 de junho, a abertura do museu do ABBA em Estocolmo. A obra está orçada em 200 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 55 milhões). A iniciativa é privada mas boa parte do financiamento vem dos cofres públicos, o que será recuperado com o pagamento do aluguel do imóvel onde sera instalado o museu. Nada de ponto sem nó!

O projeto tem o nome de ABBA the museum e não deve se assemelhar aos museus comuns. A idéia é de que seja um centro de divertimento dividido em três andares. Os idealizadores pretendem que o museu tenha uma dinâmica de um bom filme. Isto significa que o visitante terá a possibilidade de seguir a carreira do grupo, que teve seu fim em 1983, através de um caminho marcado pelos 25 anos de estrada, ou seja, cada espaço será dedicado a um período específico da jornada do ABBA. Vejamos…

Interatividade e multimedia são fatores que andam de mãos dadas neste projeto. Logo após a entrada será possivel encontrar, segundo os idealizadores, tudo relacionado ao grupo. Um espaço chamado Upplev ABBA live, isto é, experimente ABBA ao vivo, pretende proporcionar aos visitantes a mesma sensação de ver o grupo em um show.

Nos pisos seguintes, os fãs do grupo poderão realizar seu proprio vídeo, cantar no karaokê, tomar um café, participar de um evento, ver exposições ou mesmo se esbaldar em uma pista de dança. Um espaço dedicado às roupas usadas nos shows terá certamente seu lugar.

Bom, vocês devem estar se perguntando quanto tudo isso vai custar. Quem quiser curtir tudo o que o museu vai oferecer precisa desembolsar a bagatela de 245 coroas (por volta de R$ 68,00). Nem um pouco animador, heim? :(

  • O verbo em sueco do dia é uppleva [uppleva], experimentar, viver, sentir