Pais suecos ganham mais tempo de licença a partir de 2016

bonecos desenhados no chao, homem, mulher e carrinho de bebêApesar de ainda estarmos longe da igualdade de oportunidades e direitos entre homens e mulheres, existe na Suécia uma tentativa de, ao menos, não deteriorar ainda mais a situação da mulher quando esta torna-se mãe. E é na lei de licença parental que isso se mostra mais evidente.

O parlamento sueco aprovou na data de hoje uma mudança na lei de licença parental que afeta familias cujas crianças estão previstas para nascer a partir de 1/1/2016. A partir do primeiro dia do ano, haverá o aumento dos dias reservados (obrigatórios) da licença  para cada um dos pais, passando de 60 para 90 dias.

Na Suécia, a licença parental é de 480 dias, um pouco menos de 1 ano e quatro meses, que podem ser igualmente divididos (ou não) entre a mãe e o pai da criança. No entanto, desses 480 dias, 60 deles são reservados a cada um dos pais (120 no total), não podendo portanto serem cedidos ao parceiro. A licença parental se aplica também a adoções.

Segundo divulgado pelo INSS sueco (försäkringskassa), a medida visa:

  • aumentar igualdade no mercado de trabalho;
  • aumentar igualdade no que toca os cuidados da casa e das crianças;
  • reforçar o direito das crianças em conviver com ambos os pais.

A decisão passa a valer a partir de 1/1/2016 e afeta famílias cujas crianças nascerem a partir dessa data. :)

Nattknappen – “A tecla noturna”

Neste final de semana, a polícia de Estocolmo lançou um serviço que se chama “a tecla noturna” (tradução livre). Ele consiste em um plantão telefônico para o qual pessoas que estiverem se sentindo inseguras, ao por exemplo, voltar para casa após uma festa, possam ligar para conversar.

A idéia parece ótima! No entanto, poucas pessoas utilizaram o serviço no primeiro final de semana de funcionamento. O número do plantão de polícia “a tecla noturna” é 08 50 44 66 66 e ele ja está no meu telefone.

Todos que estiverem na rua entre as 22h e 3h30 da manhã durante o final de semana podem ligar. O serviço não é para ser usado quando você se sentir ameaçado, mas sim, quando sentir uma desagradável sensação de andar sozinho, no escuro e em lugar deserto. Quem estiver em situação de emergência ou se sentir ameaçado deve ligar para o 112.

Entre dois e três voluntários bem treinados, de um total de 30, ficam de plantão a cada final de semana. Os voluntários se encontram na central de polícia e estão prontos para alarmar a polícia em caso de, durante a conversa, acontecer algum tipo de violência com quem está ligando.

Segundo uma voluntaria do serviço, o objetivo do plantão é diminuir o sentimento de insegurança que muitos reconhecem ter e verificar se este metódo é efetivo.

O plantão “a tecla noturna” está em fase de teste e funcionará todas as noites de sexta para sábado e de sábado para domingo até 31 de janeiro, quando o serviço será avaliado. Em caso de avaliação positiva, se realmente existir interesse dos habitantes de Estocolmo, o serviço pode se tornar permanente.

Update: O plantão “a tecla noturna” tornou-se permanente desde o dia 27 de março para todos os moradores da região metropolitana de Estocolmo.

Quando li a matéria que fala deste plantão lembrei imediatamente do excelente post que Somnia escreveu sobre a primeira vez que ela sentiu medo na Suécia e de suas considerações sobre a violência.

Eu particularmente nunca senti medo na Suécia, mas confesso que dá um frio na barriga quando pessoas desconhecidas se aproximam do nada. Tento não dar bobeira e não deixar minha luz de atenção desligada, evito andar em locais que aparentemente são inseguros e, bom, quase nunca saímos a noite. Somos bem caseiros. :)

  • A palavra em sueco do dia é knapp(en) [knápp] , tecla

Essa tal igualdade…

Aqui na Suécia as coisas são bastante engraçadas. Tudo tem a ver com essa tal igualdade (de direitos, sexos, condições etc). Não que esteja achando ruim, muito pelo contrário. Fico feliz em viver num país que põe essas questões em pauta e em prática. Mas as vezes, por isso digo engraçado, parece coisa de criança!

A última delas foi a questão do trânsito. Esta semana foi publicado no DN que a cidade de Hässlehom, a 86 km Malmö, vai ter que esperar para a troca de algumas placas de transito nas quais homens atravessam a faixa de pedestre. Este homenzinho da placa é chamado de “Herr Gårman” (algo como, “O senhor pedestre”). A cidade gostaria de usar placas com mulheres, chamada “Fru Gårman” (algo como, A senhora pedestre).

O impedimento se deve pelo fato do governo afirmar que uma mudança de placas deste porte deveria ser implantada nacionalmente. A idéia (que por sinal, não é tão nova no país – outras cidades já tentaram implantá-la) está sendo estudada pela departamento de trânsito e o relatório deverá ser apresentado início de outubro.

  • A palavra em sueco do dia é jämställdghet [iêmstéldghet], igualdade (direitos, entre sexos etc)

Round trip pela Europa – parte 2

E a viagem continua…

Ystad – Swinoujscie

Duração: cerca de 7 horas

Antes de decidirmos ir por Ystad, analisamos se não seria melhor sair de Nynäshamn, próximo a Estocolmo, e aportar em Gdansky. A demora da decisão nos fez perder a promoção o que automaticamente nos fez desistir desta opção, pois o preço regular é bastante salgado. Saiu mais em conta dirigir até o sul da Suécia. Para quem vai sem carro, a opção Nynäshamn-Gdansky é bem boa.

O navio – Não tinha muito o que fazer. Na verdade anunciaram duas sessões de um filme que estaria passando no cinema. Fomos dar uma conferida e vimos que se tratava de um desenho animado dublado em polonês. 😕 Poderia ter sido até divertido se a sala não estivesse abarrotada de gente. Demos uma volta para ver se tinha algo interessante, mas estávamos tão cansados que decidimos relaxar.

A cabine – Duas camas, uma salinha com mesa, duas poltronas e um pequeno sofa, frigobar, TV, guarda roupa, cofre e um banheiro capaz de comportar dois seres humanos adultos! 😛

A TV é uma piada a parte. Os canais, todos em polonês. Algum filme passando?? Ahh legal, vamos ver, eu estou ouvindo o inglês, dá para acompanhar… Não se anime muito. Uma única pessoa dubla todos (eu disse todos) os personagens do filme. Mesmo se entendesse polonês seria dificil acompanhar uma discussao num filme onde apenas uma pessoa dubla. Hilário…assistimos um pouco só para distrair, depois só acordamos no destino.

Swinoujscie

Não dá para falar muito da cidade pois não ficamos muito tempo por lá. Segundo meu viking, a cidade é frequentada por muitos turistas que alí chegam para tratamento (ou apenas descanso) em SPAs. Chegamos às 20h fizemos o check-in e fomos procurar um lugar para jantar.

Ficamos perto da praia e por isso uma movimentação grande. Muita gente se acumulava na praça que havia música, apresentações de rua, restaurantes cheios, muitos suecos e muitos churrasquinhos sendo vendidos. Nos aproximamos de um na esperança de achar algo para comer. Decepção! Não tive coragem de comer os pedaços de porco que ali “pegavam um bronze”. Pé, língua e outras partes que ate agora não sei o que eram.

Não quisemos arriscar e fomos procurar uma pizzaria. Na cidade, só encontramos a recepcionista do hotel que falava um inglês razoável e uma garota da pizzaria (não a garçonete, acho que ela lavava pratos, já que veio nos atender bastante molhada).

Não nos sentimos bem acolhidos na cidade, isso é a verdade. Mas não desanimamos!

O hotel no qual dormimos foi bem legalzinho. O quarto bem arrumado e a cama aconchegante. O café da manha, apesar bem servido (no sentido de quantidade), não nos agradou muito. Além disso, o hotel estava em reforma. Uma pena! :(

Costumamos fazer nossas reservas pelo booking.com e sempre temos saído dos locais satisfeitos. Vide nossa passagem por Bremen, na semana santa.

No outro dia de manha, saímos cedo para dar uma volta rápida pela cidade antes de irmos para Berlim. A cidade está a pleno vapor de novas construções e o aparecimento de novas áreas muda bastante o visual do local. Gostei de umas ruas bem fofas (aliás, só dirigimos em ruas com paralelepípedos em Swinoujscie!) perto da fronteira com a Alemanha (você só se dá conta que passou de um país para o outro quando vê a placa estrelada da UE) bem arborizadas e com alguns vendedores nas calçadas que apresentavam seu melhor produto: legumes da época.

Um adendo: Apesar de o país ter entrado na União Européia em 2004, a moeda utilizada ainda é o “zloti” (PLN) que equivale no câmbio de hoje:

1 PLN = 0,31€ =R$0,74 =2,87 SEK

  • A palavra em sueco do dia é valuta [valuta], câmbio, moeda (do país)

Como estudar na Suécia?

Muita gente me escreve perguntando os passos que devem seguir para vir estudar na Suécia, seja para estudar sueco ou fazer mestrado. Vou tentar reunir o máximo de informações possíveis neste post para que ele sirva de referência quando alguém cair por aqui.

No entanto, podem existir excessões que fogem ao meu conhecimento. Por este e outros motivos, aconselho a todos clicar nos links deste post ou mesmo entrar em contato direto com os órgãos correspondentes. Aviso antecipadamente: o post é longo. Vamos lá…

Diferentemente de outros países da Europa, a Suécia não é um país onde pode-se encontrar cursinhos de línguas espalhados em cada esquina. Existem algumas instituições que oferecem cursos de verão pagos, no entanto, o estudo da lingua sueca não garante visto de estudante.

Lembro também que as regras para quem tem passaporte europeu ou é cidadão nordico são diferentes.

Algumas escolas que oferecem cursos pagos:

Folkuniversitetet

Studiefrämjandet

Medborgarskolan (informação apenas em sueco)

A única possibilidade de se adquirir um visto de estudante para a Suécia é ter sido aceito em uma das universidades do país. Em alguns casos, os estudantes têm direito a cursos de sueco oferecidos pela própria universidade.

Informações de como obter visto de estudante ou outro tipo de visto acessar a página da imigração sueca (em inglês).

Algumas universidades do país possuem cursos de sueco para estrangeiros. Os prazos de inscrição e suas respectivas regras são os mesmos para a inscrição em qualquer curso universitario. O site studera.nu (em inglês) informa quais os procedimentos para se inscrever nos cursos das universidades suecas assim como as datas para as inscrições e envio de documentos.

Curso em tempo completo

Linköping University oferece College Course in Swedish

Umeå University oferece Foundation Course in Swedish

Mälardalen University oferece o Scandinavian Studies Programme

Göteborg University oferece o curso para iniciantes: parte um e parte dois

Informações retiradas do site Study in Sweden. Sobre cursos em tempo parcial e cursos avancados também podem ser encontrados no site acima.

CURSOS GRATUITOS DE SUECO NA SUÉCIA

SFI – Svenska för Invandrare (sueco para imigrantes)

Quem imigra (seja por que vem morar com marido, namorado (a), família, assim como quem vem como asilado ou a trabalho) tem direito a estudar sueco gratuitamente nas escolas para adultos (komvux) em todo o país. Para isso, é necessário além do visto colado no passaporte, estar registrado no Skatteverket (Receita Federal) e receber o personnummer (o número pessoal – o seguro social sueco).

Com isso na mão, é hora de ir na escola, se informar quando o curso começa e se inscrever (gratuitamente). Em algumas escolas, um teste de nível é feito para avaliar o grau de conhecimento na língua e assim poder separar corretamente os alunos por nível.

Repito, isto não acontece em todas as escolas do país, portanto, não tomem esta premissa como verdadeira na escola que você for estudar. Existem casos de pessoas que foram colocadas em salas com gente que nem havia estudado em seu país de origem. Talvez por falta de estrutura na escola ou por falta de estudantes para compor uma classe. Não estou aqui para julgar. Particularmente, tive uma ótima experiência no SFI.

Existem vários níveis de SFI que vão do A ao D, sendo A o mais baixo e o D o mais alto.

O tempo que cada um passa no SFI é bastante relativo. Isto depende de vários fatores, os quais incluem facilidade em aprender uma língua estrangeira e o quanto você se esforça para estudar, entre outros. A média são 6 meses.

SFA – Svenska för Akademiker (sueco para acadêmicos)

Existem escolas que já estão preparadas para receber pessoas com níveis acadêmicos, ou seja, que já possuem um diploma universitário. Muitas escolas não nomeiam o SFA, mas consideram que o nível C corresponde a esta classificação. Isto será avaliado no momento da inscrição (ou do teste de nível). O estudo de outras línguas estrangeiras também é levado em consideração para uma boa classificação.

SAS G – Svenska som Andra Språk Grundläggande (sueco como segunda língua – curso fundamental)

Ao terminar o SFI, uma prova nacional é feita e, caso aprovado, o estudo é seguido do curso SAS. O SAS G é um nível que nem todas as escolas oferecem. Caso sua escola possua o curso, você pode cursá-lo diretamente após a prova nacional ou solicitar um teste de nivelamento. A escola que estudei possuía 3 níveis. Dependendo do seu conhecimento de sueco, é possível que você nem precise fazer o SAS G e vá direto para o SAS A.

O tempo do curso pode variar dependendo do nível que você cair. Do primeiro ao último nível, na escola que estudei, a duração do curso é de 1 ano.

SAS A – Svenska som Andra Språk (sueco como segunda língua – nível A)

No SAS A você estará estudando no nível ginasial, ou seja, o mesmo que pessoas com 15 anos. Muitos dizem que é o equivalente ao nível de ginásio que um sueco estuda. No entanto, segundo minha professora na universidade, o SAS A equivale ao ginásio dos adolescentes estrangeiros que cursam a língua (um curso especial é oferecido para aqueles que entram no sistema com esta idade), paralelo aos estudos de outras matérias.

SAS B – Svenska som Andra Språk (sueco como segunda língua – nível B)

“Último estágio” do aprendizado da língua sueca. Após este curso você estará habilitado na língua para entrar numa universidade na Suécia.

Svenska som främmande språk – Sueco como língua estrangeira

Quem estiver interessado em pular etapas, pode tentar fazer o curso oferecido pela Universidade de Estocolmo. Pular etapas significa se você estiver no SFI, decidir fazer a prova e conseguir passar, você vai estudar apenas 1 ano (dois semestres). Sobre este curso, já escrevi no blog em várias ocasiões (Nas categorias Sueco e Universidade vocês poderão encontrar mais coisas, alguns dos posts: Universidade, ai vou eu!!!! e As línguas nordicas).

Mestrado e Doutorado na Suécia

Não faço nem fiz mestrado nem doutorado na Suécia. Nem sei se pretendo fazer. Mas encontrar informações sobre isso não é tão difícil como parece.

Segundo o site Study in Sweden, existem no país 48 instituições creditadas como ensino superior. Muitas delas inclusive oferecem ensino em inglês. Este link leva você direto para a página que informa sobre as universidades existentes na Suécia.

Lá você pode encontrar uma lista em ordem alfabética das universidades (com direito a mapa) assim como as mesmas universidades separadas por região e tamanho.

Normalmente, informações sobre os cursos de mestrado e doutorado podem ser encontradas nas páginas das próprias universidades.

Paola escreveu um ótimo post sobre Mestrado e Doutorado na Suécia, passem lá e dêem uma conferida.

Mais informações sobre o ensino superior sueco pode ser encontrada nesta página (em inglês).

  • A palavra em sueco do dia é studera [sstudera], estudar

Round trip pela Europa – parte 1

Trajeto entre Estocolmo e Sainte Agnès (clique na foto para ampliar)

Trajeto entre Estocolmo e Sainte Agnès (clique na foto para ampliar)

Vamos lá! Já estava na hora de começar a escrever sobre nossa aventura de carro entre Estocolmo (Suécia) e Sainte Agnès (França).

Percurso: 2490 km

Países percorridos durante o trajeto: Suécia, Polônia, Alemanha, República Tcheca, Austria, Itália e França

Duração de toda a viagem: 3 semanas

A foto ao lado é uma montagem que fiz pois não foi possivel marcar todos os pontos da viagem de uma só vez por causa do mar. O trajeto entre Ystad (S) e Swinoujscie (Pl) foi feito de navio.

Trajeto detalhado aqui.

1º dia – 070708

Estocolmo – Ystad

Percurso: 631km

Duração: + ou – 6 horas

Começamos a viagem dia 7 de julho, às 06h00, numa temperatura de 10 graus, neblina e ameaça de chuva. Nada muito animador.

Já na metade do caminho um pequeno imprevisto: fomos obrigados a parar por alguns minutos pois uma tempestade havia nos alcançado. Impossível de ver um palmo diante do nariz.

Estocolmo-Ystad

Estocolmo-Ystad

O navio que iríamos pegar rumo à Polônia partiria às 12h30 de Ystad e a previsão do GPS era que chegaríamos bem antes do previsto. Como aprendemos bem durante a viagem de páscoa, não damos muita bola para pequena máquina e calculamos que conseguiriamos chegar antes do previsto, ao menos 30 minutos antes do embarque deveríamos estar lá.

Escolhemos não ir por autoestrada, para fazer um caminho mais curto, diferente e com outras paisagens. O GPS nos levou por um lugar que caso eu não estivesse com o mapa na mão perderíamos toda a viagem. Decidimos, então, conferir a cada indicação da máquina louca se as informações correspondiam com a realidade do mapa.

Sem muitos problemas, chegamos à Ystad ainda com tempo e entramos direto na fila dos carros. Esta seria minha primeira vez viajando de carro num navio. Achei interessante como tudo é organizado.

Ystad - Suécia (a caminho da Polônia) Polferries

Com os três bilhetes na mão (viking + Ju + carro), entramos no barco e fomos imediatamente procurar nossa cabine. Eu já estava preocupada em passar cerca de 7 horas me sentindo uma sardinha (minha primeira experiência com cabine de navio quando fomos para Riga (Letonia), dezembro passado, não foi das melhores) e sentindo enjôos.

Para minha surpresa, meu viking havia pago menos de 30 reais a mais para nossos bilhetes para trocar de cabine. Resultado: mudamos da simples para de luxo, com direito a consumir tudo o que o frigobar nos oferecia. 😀 Eu não sabia de nada!! Ao entrar e me deparar com todo aquele espaço comecei a pular, correr e dançar…hahaha :roll: (As fotos da cabine entrarão assim que conseguirmos recuperar tudo o que está no computador com carregador queimado :( )

No entanto, eu só pensava em três coisas: comer, dormir e banho. (não necessariamente nesta ordem)

O trajeto detalhado Estocolmo-Ystad pode ser encontrado aqui.

  • A palavra em sueco do dia é hytt [rrit], cabine

O retorno do ABBA

Não é especulação nem coisas do gênero. Mesmo que momentâneo, o quarteto do ABBA se reune na noite de hoje para a avant-première do filme Mamma Mia, baseado no musical de mesmo nome. É a primeira vez em 22 anos que os quatro integrantes do grupo sueco se reúnem publicamente. Só este fato merece uma festa.

Anni-Frid, Björn Ulvaeus, Benny Anderson e Agneta Fältskog assim como Pierce Brosnan, Meryl Streep och Colin Firth (atores do filme) vão entrar no cinema Rival, localizado em Mariatorget, sobre tapete vermelho para a exibiçao de gala. Os atores seguem num cortejo do Grand Hotel até Mariatorget enquanto que uma orquestra de metais os acompanhará ao tapete vermelho.

O filme estréia nas salas suecas apenas dia 11 de junho e segundo o IMDB, no Brasil dia 15 de agosto.

Datas de estréia em outras cidades do mundo podem ser encontradas aqui.

Aqui, a noticia em sueco

Para quem não sabe ou ainda não leu a respeito, o museu do ABBA está para ser inaugurado no verão de 2009.

  • A palavra em sueco do dia é stjärna [xxérna], estrela

Valborgmässoafton

Na Suécia existe uma tradição em que cada dia do ano pertence a um nome: namnsdag (dia do nome). O 1º de maio é dia do nome Valborg. Mas o que quer dizer esse nome estranho do título? Vejamos:

É na véspera do dia de Valborg, que a Suécia festeja valborgmässoafton (lembram quando expliquei sobre o sufixo afton em sueco? Se não, é so vir aqui). Hoje é o dia de acender a fogueira e dar início a primavera (e também de comemorar o aniversário do Rei Carl XVI Gustav).

A idéia é que as chamas das fogueiras levem para longe a escuridão, o inverno e o frio. Enquanto os nativos cantam que o inverno acabou as chamas cumprem seu papel de vencer o frio. Após essa festa os suecos sentem realmente que a primavera chegou.

Mas porque comemorar o início da primavera na véspera do dia de Valborg? Qual é a explicação?

O nome Valborg só entrou no calendário sueco em 1901, entretanto a festa data da idade média. De acordo com o livro Tradition och Liv, o primeiro de maio era uma data na qual se iniciava um novo ano (econômico), um novo ano administrativo.

Nesta época, fazia-se também revisões financeiras de todos os compromissos das cidades e dos trabalhadores (alguém vê alguma semelhança com o prazo da declaração do IR?). Num dia tão importante não poderia acabar em outra coisa senão festa. O feriado do Valborg também é importante pelo fato de ser o dia em que os animais eram soltos no pasto após o inverno.

Uma explicação recorrente para o fato de se acender uma fogueira na véspera de Valborg recai no costume de que o fogo afastaria os animais selvagens no período de soltura dos animais no pasto. O fogo também é associado à bruxas e a seres dos quais as pessoas queriam se afastar.

Mas quem foi afinalValborg?

Segundo o livro Tradition och Liv, no ano 710 nasceu uma menina, filha de um casal de reis anglo-saxão, a qual foi enviada ao convento Winborn. Lá Valburga (seu nome pode também ser escrito Walpuirgis) foi criada e recebeu uma formação na área médica. Aos 30 anos, Valburga foi convidada pelo seu tio para ir à Alemanha ajudar na construção de um convento feminino numa pequena cidade que acabara de se tornar cristã.

O convento Heidenheim foi construido pelo seu irmão, Winnibald, como um duplo-monastério, com uma parte dedicada às mulheres e outra aos homens. Valburga tornou-se a primeira abadissa e diretora do convento feminino. Ela era tão respeitada e com uma grande capacidade de adminstração que quando seu irmão e diretor do monastério masculino morreu, ela se tornou diretora de todo o convento.

Ela era conhecida por curar pessoas. Uma noite Valburga foi chamada num vilarejo para ver uma garota, filha de um cavaleiro, que tinha uma grave doença nos olhos. Ao chegar no destino, os cães de guarda dos cavaleiros correram em sua direção e em vez de atacá-la, tornaram-se mansos e até acariciá-los foi possivel. Valburga pôde assim entrar no vilarejo e curar a menina.

Festa e álcool

É também no valborgmässoafton que muitos adolescentes começam a beber. A venda de álcool na Suécia é proibida para menores de 20 anos no Systembolaget (empresa estatal que possui o monopólio da venda de alcool na Suécia) desde 1969 e para menores de 18 nos bares e boates.

No entanto, isto infelizmente não impede que os adolescentes comprem álcool ilegalmente nas ruas. Hoje a noite, o programa Uppdrag Granskning exibe uma reportagem sobre o “System-Bolaget das ruas”, isto é, a venda ilegal de bebidas nas ruas do país (depois colo o link para o programa aqui) justamente no dia em que os adolescentes mais bebem.

  • A palavra em sueco do dia é valborgmässoafton [valbórméssoafton], véspera do dia de Valborg

As línguas Nórdicas

Desde agosto do ano passado, estudo Svenska som främmande språk (sueco como língua estrangeira) na Universidade de Estocolmo. Apesar do curso ser na uni, o nível é ginasial. Agora estou no nivel 3 (apesar de não existir nivel 1 😛 ) que este semestre mudou de nome. Agora ele se chama Behörighetsgivande kurs i svenska (Curso que te dá qualificações em sueco para cursar uma universidade).

O curso faz parte da Instituição para línguas Nórdicas (Institutionen för Nordiska Språk) que oferece cursos, além do sueco, de dinamarquês, noruguês, holandês, islandês, sueco antigo, gótico etc.

Hoje tivemos um seminário bastante interessante no qual as duas professoras dividiram as 3 horas de aulas em 2 momentos: Norueguês e Dinamarquês. Eu adorei!

A primeira professora, norueguesa, foi bastante simpática, comunicativa e capaz de prender nossa atenção. Ela falou em norueguês a aula inteira. Sim, inteirinha!!! Lembrei imediatamente da aula de Mércia. O tema da aula foi as duas variações de norueguês. Sim, esta eu não sabia. Na Noruega existe duas línguas, não como na Bélgica ou Canadá que tem o inglês e frances como línguas oficiais, mas norueguês e norueguês. 😕

Explico: segundo a professora, na Noruega existe duas variantes de norueguês: Nynorsk (novo norueguês) e o Bokmål (dano-norueguês). Para poder entender melhor, precisamos voltar um pouco no tempo.

A Noruega e a Dinamarca faziam parte de uma união estabelecida entre esses dois países a partir de 1450. No entanto a Noruega só deixou de ser um reino independente em 1536. Na aula, a professora explicou que com o domínio dinamarquês, a língua norueguesa escrita desapareceu, sendo substituída pelo dinamarquês.

Quando a união, na qual a Suécia anos depois veio fazer parte, finalmente acabou, 1813, a Suécia “levou para casa” a Noruega como prêmio de guerra. A dissolução da união Noruega-Suécia aconteceu pacificamente em 1905.

Mas foi ao final da primeira união (Noruega-Dinamarca) que os “problemas” linguísticos começaram.

O objetivo de se construir a língua escrita era claro, mas país entrou num dilema:

  1. Continuar escrever dinamarquês;
  2. “Noruguêsar” o dinamarquês
  3. Construir uma nova língua escrita com bases na língua oral.

Uma corrente liderada pelo linguista Ivar Aasen (o qual compilou vários dialetos e compôs o Nynorsk) defendia o radical abandono do dinamarquês e a rápida composição de uma língua norueguesa. A ligação entre a idéia de nação e língua para a formação de uma identidade nacional era bastante forte.

Do outro lado da corrente estava o linguísta, Knud Knudsen, o qual pregava a prudência e a construção da nova língua escrita atraves da língua falada. O Bokmål é o que poderíamos dizer da junção do norueguês falado com alguns traços de herança dinamarquesa na escrita.

Vocês devem estar se perguntando, sim, mas e no que deu o resultado?

Bom, a professora nos mostrou um mapa da Noruega onde em 1945 apenas 15% da população falava Nynorsk e 85% o Bokmål (mapa de 2007, para ele só as cores correspondem).

Hoje, o Bokmål é a língua dominante, apesar do forte lobby do Nynorsk (hoje minoria, mas em forte crescimento), e é usado nas escolas e repartições públicas.

Muitos devem estar pensando qual a vantagem em ter duas linguas que, em vez de facilitar, complicam a situação. Bom, primeiramente é uma idéia bastante excitante, do ponto de vista acadêmico e social. Acadêmico pois a língua está em constante evolução, entre outros. Social pelo fato de todos terem espaço na sociedade para se expressar através de sua língua nativa (vejam o caso do Paraguai – com o espanhol e guarani).

Lógico que tem inúmeros pontos negativos, entre eles o de aprender a língua. 😉

Achei interessantíssima a aula. Ahh, detalhe, conseguimos enterder tuuuudo!!

Bom, o segundo tempo começa com a professora dinamarquesa (uma figura!!). No entanto, a aula foi menos interessante que a anterior.

Ela falou de varias coisitas curiosas e depois nos mostrou quais as maiores diferenças entre o sueco e o dinamarquês, na escrita (pois no oral é praticamente impossível entender).

Uma curiosidade: A bandeira dinamarquesa é um símbolo de alegria, muito mais do que de nação. A bandeira é usada em festas, nascimentos e é sempre relacionada a algo festivo.

Ela lembrou dos últimos acontecimentos que envolveram a queima da bandeira dinamarquesa em vários países em demonstração de ódio contraas caricaturas de Maomé. Ela lembrou que em vez de raiva, seus conterrâneos sentiram uma tristeza profunda ao vê-la queimando.

O mais engraçado foi na hora em que ao começar o seminário alguém perguntou em que língua ela falaria (já que ninguém entende dinamarquês). Ela disse que falaria em “escandinavo” (ou seja, sueco) pois os suecos consideram sua língua como a principal. No entanto, ela rebateu com o seguinte dito:

O sueco (a língua) é o dinamarques falado de forma mais clara.

Entretanto, os suecos costumam dizer:

O dinamarquês (a língua) é o sueco falado quando se tem papa na boca

Em resumo, duas coisas saímos falando da sala:

1. Estudando sueco, ganhamos mais duas línguas no pacote (Norueguês e Dinamarquês), já que, apesar de díficil de falar e entender, de acordo com a segunda professora, em 3 semanas é possivel um falante da língua sueca entender e começar a balbuciar dinamarquês.

2. O sueco é definitivamente mais fácil de aprender que o norueguês e o dinamarquês!!

  • A palavra em sueco do dia é granne (ar) [granne], vizinho (s)

1 ano do Enquanto isso, na terra dos vikings

Não é que passou batido?!! Uma vergonha. :(

Mas ontem, 27 de março, o Enquanto isso, na terra dos vikings… completou 1 ano de vida!!!

bolo.jpg

Neste ano pude compartilhar bastante coisa com amigos e família além de conhecer bastante gente legal. Outras legais também apareceram por aqui e ficaram, outras apareceram e passaram, outras que deixaram alguns recadinhos e sumiram,@s tími@s que não ousam comentar e aqueles que caem aqui por acidente 😀 (vocês não têm idéia do que já digitaram nos motores de busca e acabaram caindo por aqui….)

Bom, tenho que voltar para os livros…

  • A palavra em sueco do dia é skämmas [], sentir vergonha