Julho tem realmente 31 dias?

Julho está curtíssimo. Meu irmão foi embora há alguns dias e ainda estou cansada. A maratona de visitas ainda está rolando e hoje a noite receberemos um casal de amigos da França. Ficam uma semana.

Ju_Dea_Saumur_2008

Juliana e Andrea em um dos castelos em Saumur

As preparações estão a todo gás. É a segunda vez dela na Suécia e a primeira vez dele. Mas é a primeira viagem deles juntos para um outro país. Quero que seja especial para ambos, porque ela é uma pessoa muito especial para mim.

Enquanto o “hotel” não entrar de férias, fica difícil vir aqui e atualizar as coisas, mas prometo escrever algumas linhas esta semana.

No mais, tenho muita coisa para contar:

  1. Caiaque no Mälaren – Tour de caiaque de 14km  com dois casais de amigos
  2. Despedida de Solteiro de Ana – Viagem das Tipas para Tallin, Estônia
  3. Semaninha com meu irmão – A grande aventura de ser irmã mais velha de um adolescente
  4. Da baguete às almondegas – Uma brasileira e um frances em terras vikings
  5. Essa não posso nem escrever ainda porque é surpresa :p
  6. Essa outra também fica guardadinha até rolar. :)

De tudo isso, estou (e ainda vou ficar) devendo um milhão de fotos para todos que estiveram nas atividades. 😉 acima. Mas juro, juro de pé juntinho que vou enviar as fotos para tod@.

Será que vai dar tempo de escrever algo antes do final do mês? Vocês tem certeza que o mês só tem 31 dias?

Reblog this post [with Zemanta]

Nationaldagen muito quente

Sei, estou um dia atrasada. O dia nacional da Suécia (nationaldagen) foi ontem, 6 de junho, mas só agora dei uma parada na minha dura vida de camponesa em Kopparberg para voltar ao mundo virtual. Aliás, é bom dizer que a temperatura está muito alta. Os neurônios estão fervendo, não de problemas, mas de calor mesmo.

No seu dia, a Suécia além de comemorar com tiros de canhão e vários balões azul e amarelo (cores da bandeira nacional) no céu de Estocolmo, pode ficar contente com a marca de temperatura mais quente da Europa (segundo o que foi divulgado no jornal ontem a noite)! Sim! Para aqueles que pensam que moramos 365 dias do ano na geleira, se engana. Aqui quando é quente, é quente mesmo!

Já aqui em casa (quer dizer, na casa de campo da sogrinha) não comemoramos nada. Trababalhamos duro no terreno que estava cheio, mas muito cheio de mato, para deixar limpinho e poder plantar, como fizemos ano passado. No final do dia nos contentamos com um churrasquinho de salsichas! 😉

Estou cansadinha. Aqui ainda tem muito o que fazer antes de partir para um fika na casa de Nick! 😀 Hoje a noite encontraremos alguns amigos do meu viking para jogar brännboll, um jogo que lembra muito baseball mas muito divertido, e fazer um churras de leve.

Sobre minha viagem para o Brasil, pof!, ainda não arrumei mala alguma. Também não estou muito preocupada com isso. Quem tem direito apenas a 15 kg de bagagem não pode se dar ao luxo de “fazer malas”. Amanhã às 16h parto de Estocolmo em direção à Skavsta. Aí sim, comecará minha peregrinação.

Para quem quiser refrescar a memória, escrevi aqui ano passado sobre o dia nacional da Suécia, uma explicação para a comemoração da data assim como desde quando virou feriado nacional no país.

Foto: Maja Suslin/Scanpix – DN
  • A segunda palavra em sueco do dia é varm [várm], quente

Viagem barata para o Brasil

Quem está procurando passagens baratas para o Brasil (principalmente para o Nordeste) durante as férias de verão da Europa pode aproveitar os preços low-coast de uma nova companhia aérea que desde 5 de maio está operando entre Recife e Frankfurt.

A empresa alemã Condor oferece vôos para Recife todas as segundas e o valor do bilhete para as próximas duas segundas custam apenas 84€ (apenas um trecho partindo da Europa- sem taxas). A partir de então o valor do trecho varia de acordo com a data escolhida e passa a custar entre 134€ e 309€

A Condor também oferece vôos para Salvador, entretanto, eles acontecem duas vezes por semana (quartas e sábados). Para a capital da Bahia, o valor de 84€ (apenas um trecho partindo da Europa- sem taxas) permanece até dia 28 de junho.

Eu ja garanti a minha! Estou de partida para Recife na segunda-feira, 9 junho!

O site da empresa pode ser acessado em inglês (europeu, americano/canadense), alemão, francês, espanhol, italiano e turco.

Se você não mora na Alemanha (como eu), precisa pegar um outro avião para chegar em Frankfurt e que para tal decide ir por companhias low-coast que operam na Europa, fiquem atento na quantidade de taxas extras que no momento da reserva podem ser evitadas (desabilitadas).

Essas empresas aéreas adotaram recentemente várias taxas extras que fazem as atraentes passagens de 1 centavo de euro tornarem-se bem salgada: taxa de bagagem, preferencia na fila para entrar no aviao etc…

  • A segunda palavra em sueco do dia é biljett [bilhétt], passagem

Relatos de uma viagem…parte 2

Vocês lembram da nossa viagem de Páscoa? Há um tempinho escrevi aqui a primeira parte da nossa aventura e já estava mais do que na hora da continuação, não é mesmo? Daqui a pouco chega o verão, novas viagens e aventuras no calendário e nada das histórias da páscoa pelas terras francesas. Apertem os cintos que agora vai…

Saumur – França

Nossa descida rumo a Saumur foi super tranquila e o sol resolveu dar o ar da graça, isto porque Reims não é uma cidade que podemos chamar de ensolarada, na verdade é bastante acinzentada durante boa parte do ano (quando o sol aparece, sim, é lindo – e quente).

Levamos cerca de seis horas porque decidimos fugir das auto-estradas e pegar um caminho bem fofo pelos campos. A velocidade nessas pequenas vias fica em torno de 90 km/h (chegando em pequenos trechos a 110km/h), nada comparado com as autoroutes pagas do país. Muitas dessas estradas estavam sendo reformadas, por isso pegamos trechos bem lentos.

Num determinado momento, decidimos pegar uma outra estrada que nos levou às bordas do Loire (La Loire, em francês), o mais longo rio da França. A região para a qual fomos, chamada de Pays de la Loire (Países do Loire), possui um grande número de castelos e se destaca pelo charme das cidades que beiram o rio assim como pelos vinhedos e paisagens.

Les Troglodytes!

Antes da nossa chegada a Saumur nos deparamos com várias casas estranhas. Na verdade, eram grotas, sim, estamos em 2008 e ainda existem pessoas que moram em grotas. 😀 O charme das grotas é que são completamente adaptadas. Vimos inclusive varias delas ainda em construção. E ao conversar com amigos no nosso destino sobre as casas nas grotas, descobrimos que são conhecidas como Les Maisons Troglodytes.

Na região, é possivel não só visitar algumas casas trogloditas como inclusive comer em restaurantes de mesmo tema. Infelizmente não podemos visitar nenhum dos dois, pois como disse, fomos numa época em que esses sítios turísticos estão fechados.

Castelos

Chateau de Saumur IMGP8513

Esta é a vista da cidade de Saumur do outro lado do Loire. Encantadora! Esse castelo que vocês estão vendo nas fotos (Le château de Saumur) está em reforma e não é possivel visitá-lo. No entanto, fizemos uma longa e gostosa caminhada para chegar ao seu cume para ver o castelo e seus arredores de perto.

IMGP8563 IMGP8536

Romântico, não?

Para não dizer que a viagem à Saumur foi em vão, passeamos bastante pela região e encontramos inclusive um castelo aberto para visitas. O Château de Brezé, construido entre os séculos XI e XIX, é conhecido por possuir um castelo sobre outro castelo. Explico.

Além do castelo visivel, existe uma imensa construção subterrânea que te leva a um mundo completamente diferente. Lá encontramos uma incrivel vila troglodita subterrâna com direito a padaria, pressoir (local para esmagar as uvas) e les foudres (onde o suco da uva é guardado e fermentado com a finalidade de tranformá-lo em vinho). Muitas partes do subterrâneo ainda não foram exploradas, por isso em alguns lugares existiam placas proibindo a passagem.

Chateau de Brézé IMGP8587

Levamos mais de uma hora para percorrer todo o trajeto. Olhando a foto acima, não dá para imaginar que ao redor do castelo existe o mais profundo fosso (seco) da Europa. Dezoito (18) metros de produndidade cavados pelas mãos dos trabalhadores desde 1448. Pedras que foram tiradas deste fosso, serviram para construir o castelo que vemos na superfície. Incrível, não?

IMGP8588 Fosso do chateau de Brezé

IMGP8591 Fosso do chateau de Brezé (ponte no detalhe)

Ao sair do castelo de Brazé fizemos um passeio nas pequenas vilas ao redor de Saumur. Encontramos um outro castelo também fechado para visitas, mas com uma bela vista para o Loire: O Château de La Dame de Montsoreau.

Chateau de La Dame de Montsoreau. Chateau de La Dame de Montsoreau.

Nossa volta para casa deixarei para um próximo post…Este ja está enorme! 😉

  • A palavra em sueco do dia é slott [slót], castelo

Relatos de uma viagem…

Consegui fazer o mundo parar de rodar um minuto para poder descer aqui no blog e finalmente contar sobre nossa viagem de páscoa. Algumas memórias já estavam sendo apagadas. Para não correr o risco de esquecer tudo, voilà, aqui estou eu.

O primeiro dia de viagem foi super cansativo. Começamos a descida às 6h e dirigimos por quase 15 horas. Coisa de doido! Nosso (segundo) café da manha aconteceu às 9h numa dessas paradas de estrada (nas redondezas de Ödeshög) mas ao contrário do que muitos possam imaginar o lugar era super bonito.

O in?cio da viagem!!Vättern

O lago que vocês podem ver na foto chama-se Vättern (segundo maior da Suécia e quinto da Europa). Juro que me senti na Côte-D’Azur passando com o carro pela estrada e admirando sua água límpida e brilhante.

Passamos super rápido em Malmö, paramos apenas para almoçar, e seguimos rumo à Dinamarca. A viagem até Malmö durou mais de seis horas. Quem me conhece sabe, meus rins trabalham muito bem e a necessidade de parar era constante, o que fez nosso primeiro dia de viagem se tornar uma eternidade. 😕

Suécia-Dinamarca

É possível ir à Dinamarca a partir da Suécia de carro ou de trem (atravessando a ponte chamada Öresundsbron). Foi a minha maior experiência. Eu havia visto um documentário sobre a construção desta ponte (e do túnel “subaquático”) que liga os dois países e tinha muita vontade de vê-la de perto. A ponte tem quase oito quilômetros de extensão sem contar com os quatro quilômetros e cinquenta e cinco metros do túnel. (clique aqui para ver o desenho da ponte e do túnel)

Ponte entre a Dinamarca e a Suécia (Öresundsbron) Ponte na Dinamarca

Olha a prova! Turbinas eólicas no mar

A experiência é indescritível. As quatro fotos acima foram tiradas no trajeto da volta. De cima da ponte foi possível ver as turbinas eólicas instaladas no meio do mar e sentir que podemos produzir energia limpa. Não entendo argumentos contra as turbinas. Sujar paisagem?? Que nada!! Foi lindo. Quanto ao túnel, bem, sentir que você está entrando de carro nas profundezas marítimas foi emocionante, mas confesso que fiquei contente quando saí dele. Ah, mas nada é de graça. Atravessar a belezura custa 325 kr (cerca de R$ 93,00). Doi no bolso só em pensar…

Não paramos em Copenhague, apesar de termos passado perto. Estávamos pensando apenas no nosso destino final, não, minto, neste momento pensávamos era no intermediário mesmo, Bremen. A passagem pela Dinamarca foi bastante rápida.

Paramos apenas em um posto de gasolina para um café e sentimos no bolso o peso e a força da coroa dinamarquesa (um pouco mais valiosa que a sueca) e dos preços salgados. Pagamos 29 coroas dinamarquesas (37 coroas suecas, cerca de R$10,00) por um café e um pão de chocolate (claro que para meu viking) o que na Suécia custaria 18 coroas suecas (cerca 14 coroas dinamarquesas).

Alemanha

Já Alemanha é uma experiência a parte. Dirigir nas auto estradas alemãs é um sonho. As pistas são bem cuidadas, não existe pedágio (na Suécia e na Dinamarca também não) e a velocidade máxima recomendada é de 130 km/h. Vejam bem, disse recomendada. Excetuando a região de Bremen que recentemente delimitou em 120 km/h a velocidade em seu perímetro, pode-se dirigir em qualquer limite nas estradas alemãs.


Alemanha

Por outro lado, vi muita poluição (devido às usinas de energia – foto) e bastante tráfego. Outra coisa chata é que todos os banheiros pelos quais passei são pagos. Fiquei bem indignada em pagar 0,50€ apenas para visitar a casinha do monsieur bocão.

Ficamos numa pousada muito simpática e agradável. Ela se chama Blaue Villa mas reservamos através de outro site. Como reservamos muito em cima da hora (na véspera da viagem) pagamos 59€ a diária com direito a café da manhã (coisa rara na Alemanha e França, já que os preços do café da manhã podem variar de 7€ a 19€). Aconselho reservar hotéis e ou pousadas com bastante tempo de antecedência

Bélgica

Bom, pelo menos na Alemanha existe banheiro. Na Bélgica não encontramos um sequer. Pelo menos nas estradas que passamos. Covardia dos deuses! Mas a Bélgica sempre guarda surpresas. Esperem pela volta…

França

A viagem Bremem-Reims durou 7 horas. Chegamos bem mas um pouco cansados. Fomos correndo ver meu irmão e minha princesa, que estavam aproveitando o Printemps du Cinema (três dias com entradas pela metade do preço, ou seja, um adulto 3,50€) para dar aquela conferida num filme…francês, claro. O filme havia terminado quando chegamos mas a paradinha para um café foi inadiável. Eu estava morrendo de saudades do cafezinho francês.


Meus amores...

Nossa passagem por Reims foi deliciosa. Encontramos amigos e passamos momentos agradabilíssimos com todos. Dois dias passaram voando. Na terça pela manhã começamos nossa descida rumo à Saumur. Mas daqui para frente contarei num outro post. Aguardem as próximas cenas…

Uma novidade: a partir de hoje, ao clicar na palavra entre colchetes, será possível escutar a pronúncia das palavras ao final de cada post. O link não é de minha autoria. O mp3 é do site Lexin. Espero que não me dê problemas. (será que alguém sabe algo sobre isso?)

  • A palavra em sueco do dia é motorväg [motorvég], auto-estrada

Voltei Recife!!

Não, não é bem isso que o título quer dizer. É só uma referência musical para dizer que chegamos em casa. Meus conterrâneos vão entender! 😉

Bom, chegamos domingo a noite beeeeeem cansados e ainda estou colocando as coisas em ordem, lendamente, diga-se de passagem. Muitos trabalhos da universidade para fazer, exercícios de inglês, provas e provas e o serviço doméstico de cada dia (se bem que o meu viking ajuda, mas…).

Tenho muito o que contar, mas volto aqui quando as coisas se acalmarem (em breve, assim espero). Só adianto uma coisa. Essa viagem de carro me rendeu dois quilos extras!! :( Dirigir, parar para comer e sentar não é uma boa combinação! 😀blogshow.jpg

Sim…. Não posso esquecer. Tanta coisa acontecendo que nem deu tempo de agradecer a “Ermã” Laura pelo prêmio Esse Blog é Show de Bola. Uma desfeita gigantesca, já que o post dela foi publicado final de fevereiro.

Queria agradecer também a todos que passaram por aqui e desejaram boa viagem. Tenho certeza que todos os vossos desejos foram atendidos. 😉

  • A palavra em sueco do dia é återkomma [ôterkoma], regressar

Viagem de páscoa

Enquanto vocês estão lendo este post, já devemos estar bem longe de casa. Amanhã começa nossa descida rumo à França. Sim, descida porque vamos de carro. Já está tudo programado. A rota, hoteis, paradas, etc. Vai ser uma aventura e tanto! Espero que o tempo ajude.

1pt.jpg

Nossa primeira dormida será na Alemanha, em Bremen. (clique para ver a foto ampliada) Não vamos nem fazer turismo por lá. Queremos apenas dormir, após cerca de 12 horas de estrada. No outro dia quero chegar o mais cedo possível ao nosso destino: Reims. Lá vou visitar meu irmão e meus amigos…

Alguns dias depois, vamos em direção a Saumur, a cidade de Coco Chanel! Saumur fica localizada numa bela região da França na qual existem vários castelos (pena que a estação de visitas começa apenas a partir de abril :( ). Lá encontraremos minha querida amiga A. Nos conhecemos no primeiro dia de aula do curso de francês que cursamos juntas em Reims. Ela é bastante responsável por eu estar com meu viking hoje!

2pt.jpg

Bom! Me desejem boa sorte!! Depois passo aqui para contar mais.

Aqui vocês podem encontrar os relatos desta viagem (primeira e segunda partes)

  • A palavra em sueco do dia é bil [bil], carro