E o pequeno viking vai para…

Meiroca! Queridoca, você foi a sorteada para ganhar o presentinho de aniversário blog. Meiroca, amore, me manda teu endereço por email para que eu te envie o cadeau! 😉

Um presente com a cara do blog! :)

Estavam concorrendo todos os comentários do dois últimos posts de março. No final, com a ajuda do Random.org, ganhou o comentário número 10 do penúltimo post do mês.

  • A palavra em sueco do dia é present [prêssent], presente
Reblog this post [with Zemanta]

Nomes suecos mais populares em 2008: Maja e Lukas

podiumUma das coisas que traz mais gente aqui para o blog é a busca por nomes suecos. Em 2008, fiz um post com o ranking dos nomes mais escolhidos para os recém nascidos em 2007 na Suécia. A lista dos nomes de 2008 já saiu desde o início do ano (este post estava guardado há tempos! :( ).

O Na Terra dos Vikings, então, desenterra a lista e apresenta Maja e Lukas como os nomes mais populares entre os suecos em 2008.

Segundo o site Allt om Barn, o nome Maja sempre esteve entre os preferidos durante os anos 2000, mas nunca conseguiu chegar no topo. Em 2008, 783 pais deram o nome Maja as suas filhas, o que fez com que o nome ficasse com o primeiro lugar dos mais populares naquele ano.

Já na lista masculina, o nome Lukas subiu do quarto lugar em 2007 para o primeiro em 2008. No total, 1001 meninos receberam este nome no ano passado.

O site afirma que poucos são os pais que ativamebbnte escolhem os nomes que se encontram no topo. “É uma grande tendência que os pais prefiram evitar nomes que estão no top-10. Hoje em dia, não queremos ser mais um na multidão”, conta Anders Malmsten, organizador da lista.

As novidades do top-10 2008 ficam por conta dos nomes Elsa, que subiu da décima primeira posição para o quarto lugar,  Alexander e Isak, que retornam a lista dos mais populares. Os nomes que desapareceram do top-10 2008 foram Ida e Ebba assim como Emil e Anton.

Ainda de acordo com o Allt om Barn, em 2008 foram utilizados 18 819 diferentes nomes em crianças. “Apenas”, 6337 crianças receberam nomes únicos, ou seja, ninguém além desses mais de seis mil recém nascidos terão homônimos nascidos no mesmo ano.

Topo os nomes em  2008

1. Maja (2) Quantidade: 783
2. Julia (4) Quantidade: 759
3. Emma (5) Quantidade: 753
4. Elsa (12) Quantidade: 727
5. Ella (3) Quantidade: 726
6. Alice (9)  Quantidade: 692
7. Linnea (8)  Quantidade: 666
8. Alva (10)  Quantidade: 656
9. Vilma (1)  Quantidade: 635
10. Klara (14)  Quantidade: 603

1. Lukas (4)  Quantidade: 1001
2. Oskar (3)  Quantidade: 972
3. Elias (2)  Quantidade: 869
4. William (1)  Quantidade: 856
5. Hugo (5)  Quantidade: 795
6. Alexander (12)  Quantidade: 783
7. Erik (7)  Quantidade: 713
8. Filip (8)  Quantidade: 709
9. Isak (9)  Quantidade: 709
10. Viktor (6)  Quantidade: 705

Nota:  2007 em parênteses

Vocês também podem conferir a lista dos 100 nomes (masculinos e femininos) mais registrados em 2008/2007 na Suécia

Inglês para viking ver

barco_vFinalmente estou livre do ingles. Sim pessoas, ha uma hora terminei minha prova oral de inglês B e estou aliviadíssima. Na verdade, estou super contente. Tirei VG (Väl Godkänd), o que quer dizer aprovado com mérito. Para quem não fala inglês nem com o porteiro (que nao existe) nem com o padeiro, a tarefa de desenvolver um diálogo por telefone durante 1h com meu querido professor em Malmö é uma vitória imensa.

Na verdade, a conversa deveria ser de 20 minutos. Mas bom, impossível falar da historia Inglesa, escritores ingleses, fazer traduções e ainda falar de mim em 20 minutos. Principalmente se a minha capacidade de formar uma frase em ingles é interrompida por inúmeros “ahãs-pensativos” numa torre babel que é a minha cabeça. Sem contar com a tremedeira que me acometeu antes e durante a conversa. Um suor frio nos pés que nem conto. Mas bom, finalmente terminei.

Foi a primeira vez que nos falamos (eu e o professor) e achei-o simplesmente um doce. Ele falou coisas em francês e espanhol, me deu dicas interessantíssimas e foi super gentil. Uma das coisas que ele me disse, quando falávamos do “descobrimento” da América foi que recentemente foram encontrados vestígios de que um viking da Islandia, mais precisamente Leif Eriksson, foi o primeiro europeu a colocar os pés no continente americano, onde hoje é o Canadá.  A América do Norte foi batizada, então, de Vinland (aqui em português). Isso num é genial?! Eu amei saber da história e já estou lendo os poucos sites que existem sobre o assunto.

Bom, agora é me preparar para a prova de programação em JAVA, na próxima segunda!!  Ai saco!

  • A palavra em sueco do dia é förberedelse , [fórbêrêdelse] preparação, planejamento, exercício

Solstício de inverno e suas tradições

Dia 21 de dezembro é quando acontece o solstício de inverno, ou o dia mais curto do ano, no hemisfério norte. A partir do dia 22, começamos a ganhar minutos diários de luz.

Hoje, o DN publicou uma matéria mostrando que você pode medir o ângulo do sol dependendo de onde na cidade você se encotrar quando o sol nascer. Em um gráfico gigante  (clique na foto abaixo para vê-la ampliada) eles mostram o ângulo do sol em várias partes da cidade; explicam quando o dia é mais longo, curto e quanto o dia e a noite possuem a mesma quantidade de horas;  qual o ângulo da Suécia de acordo com o eixo da terra e te ensinam a descobrir o ângulo exato que o sol terá a partir do local onde você estiver com ajuda de uma pequena régua.

Segundo o gráfico, em Estocolmo, no dia 21 de dezembro, temos apenas 6 horas 05 minutos de luz solar por dia, enquanto que na data em que o dia é o mais longo do ano, a luz do sol ilunina a cidade durante 18 horas e 38 minutos.

Este mesmo gráfico mostra que em março e em setembro temos os chamados Vårdagjämninig e Höstdagjämning, respectivamente dias iguais durante a primavera e outono, 12 horas e 14 minutos.

Motivo de festa

A pequena reportagem que segue o gráfico  é iniciada com a constatação de que até dia 21 de dezembro de 2008, a luz do sol invernal só iluminou Estocolmo durante 7h (contra 33 h que seria normal para todo o mês de dezembro), ou seja, está sendo um mês bastante cinza ou escuro.

(Infelizmente a reportagem nao foi publicada na versão online, por isso não tenho como direcionar à fonte.)

sols_dn

Reprodução do gráfico do jornal

Nela, consta que perto do ano 1000, o dia do solstício de inverno era comemorado com festa, cerimônia e orgias. Reproduzo abaixo a interessante reportagem:

A antiga crença popular diz que o dia do solstício de inverno era considerado uma noite perigosa onde os animais podiam falar além de forças sobrenaturais vagarem livremente.

Na Escandinávia antes do cristianismo, o meio do inverno (midvintern) era associado a festas religiosas de sacrifícios humanos e animais (chamado de midvinterblot). Os sacrifícios animais serviam para acalmar os deuses os quais permitiriam que o sol retornasse. Na verdade, existia um medo que a luz nunca mais retornasse caso o solstício de inverno não fosse comemorado desta forma.

Algo deveria ser sacrificado este ano para que os moradores de Estocolmo pudessem vislumbrar um pouco de sol antes da virada do ano. Segundo o meteorologista Thomas Carlund, på SMHI [Sistema de meteorologia e hidrologia da Suécia], o sol só iluminou a capital durante 7 horas em dezembro. [existe uma diferença fundamental entre horas de sol e horas de luz]. Durante os meses de Outubro-Novembro houve 111 e 61 horas de sol (em vez de 99h e 54h) respectivamente.

Os vikings tinham como costume fazer três grandes festas religiosas de sacrifícios durante o ano (höstblot, vårblot e a maior de todas midvinterblot, respectivamente festa de sacrifício do outono, primavera e a do solstício de inverno) onde, entre outras coisas, acontecia uma grande ingestão de cerveja e um tipo de licor alcoolico de mel fermentado e água (mjöd em sueco e mead, em inglês).

Uma outra antiga tradição era queimar um tronco bem decorado durante a noite mais longa do ano. As cinzas eram guardadas para serem espalhadas no campo para que as plantas tenham um bom crescimento.

Amanha, dia 21 de dezembro, será inaugurado na Dinamarca um cemitério exclusivo para todos aqueles que acreditam nos deuses vikings (asatroende). A cidade de Odense está investindo 150 mil coroas no projeto além de construir um barco no modelo da época viking de pedra no meio da cidade. Por tras do projeto está comunidade religiosa Forn Sidr a qual possui 600 membros crentes nos deuses vikings (asatroende).

No solstício de inverno o terreno será “batizado” e apenas dia 7 de fevereiro é que será oficialmente inaugurado. Provavelmente levará um tempo para que o primeiro enterro aconteça já que a maioria dos membros da comunidade asa ainda são ainda jovens. As sepulturas são auto-financiadas e custam 8 500 coroas dinamarquesas [aproximadamente R$ 3 800] para a conservação de 10 anos.

Na Internet, se proliferam vários mitos e tradições relacionados com o dia mais escuro do ano. Dentre elas, um site internacional estimula mais amor neste dia. Isto não é nenhuma idéia idiota

Per Luthander – DN jornalista”

  • A palavra em sueco do dia é vintersolståndet , solstício de inverno